Domingo, 16 de Junho de 2019
Sim & Não

Quem vai e quem não vai pra rua


agora_manifesta__o_45D4A6A0-02C4-484B-B70F-E17914995E45.JPG
21/05/2019 às 08:43

Seguindo a orientação da diretoria nacional, o Movimento Brasil Livre Amazonas (MBL-AM) não vai às ruas no domingo, 26, para participar da manifestação de apoio convocada pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL) e prevista para acontecer em Manaus na Ponta Negra. Foi o que informou o líder do MBL-AM, Jhony Souza. Já o deputado federal Capitão Alberto Neto (PRB-AM)  confirmou presença, ressaltando que é preciso ter foco nas pautas específicas a serem reivindicadas.

Sem apoio O líder do MBL-AM afirmou que a entidade acredita que uma manifestação, agora, prejudica as reformas e atrapalha toda a articulação que o Ministro Paulo Guedes e outros membros do governo estão tentando fazer com o Congresso Nacional.

Só prejudica “Não vamos à manifestação e tampouco a apoiamos. Essa manifestação só prejudica e põe em risco o que o Brasil realmente precisa”, enfatizou Jhony Souza.

Legítimo Para o capitão Alberto Neto, o protesto é válido e legítimo num país democrático onde o povo participa da política. Segundo ele, mostra o amadurecimento político da nação. “Mas o movimento tem que ser prático. Não é só pra gritar ‘Bolsonaro’ porque a campanha já acabou. Ele já é o presidente. Vamos levar nossos pleitos. Cobrar que o Congresso aprove a reforma da Previdência, o pacote anticrimes e legislações importantes. Tem que ser um protesto direcionado para o Congresso”, defendeu Neto.

Cobrança O presidente da Força Sindical no Amazonas, Vicente Filizola, diz estranhar a ausência de reuniões do Conselho de Administração da Suframa (CAS) para a aprovação de novos projetos. “Há mais de quatro meses o conselho não se reúne. O Codam já aprovou vários projetos, mas a Suframa não reúne o CAS para a apreciação. E o pior é que não há nenhuma previsão”, denuncia Filizola.

Sala de Situação Com a implantação da primeira Sala de Situação, prevista para entrar em operação em, no máximo, 90 dias, a Secretaria de Estado de Saúde (Susam) espera pôr fim a um dos seus maiores entraves:  a falta de integração entre os sistemas de informação das unidades com a secretaria.

Fim das planilhas O secretário de Saúde Rodrigo Tobias disse que a nova solução, uma espécie de “Big Data” da Saúde, vai proporcionar uma visão geral do setor no Estado, instrumento essencial para planejamento de ações e tomada de decisões. Segundo Tobias, hoje cada setor tem seu sistema e, quando solicitados pela gestão, são disponibilizados em planilhas de Excel. “Em plena era da indústria 4.0, é inadimissível”, diz o  secretário.

Leilão O Leilão de Bens Móveis do Governo do Amazonas organizado pela Sead já tem data marcada. Segundo a secretária Inês Carolina Simonetti, por conta da quantidade de itens, o leilão irá ocorrer em dois dias: 31 de maio e 1º de junho. Serão mais de 32 mil bens móveis, incluindo carros, motos e pequenas embarcações. O Estado espera gerar uma receita em torno de R$ 2,5 milhões e R$ 3 milhões.

FCecon O deputado federal Bosco Saraiva (Solidariedade) anunciou ontem, o repasse de R$ 7 milhões que serão utilizados em setores fundamentais Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas (FCecon).


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.