Publicidade
Sim & Não

Relação tem contornos de máfia

02/05/2017 às 22:02 - Atualizado em 02/05/2017 às 22:04
Show sim e nao 0222

A cada dado novo que vem a público sobre as empresas de transporte coletivo e a relação delas com a SMTU, o trato entre as duas entidades ganha contornos de organização que, em tese, tem como fim lesar o consumidor. As duas, por exemplo, se uniram para constranger, por vias diversas, um vereador que as incomoda. O incômodo é causado por um dado até agora inexplicável: em dois meses, dois milhões de litros de diesel a menos foram comprados pelas empresas, logo após o fim dos subsídios.

2 + 2  Conforme atestou o vereador Marcelo Serafim (PSB), a redução drástica no abastecimento dos ônibus significa que antes, com o subsídio, havia “sobra” de combustível e este era vendido para o mercado negro. O parlamentar conclui que se agora o gasto com diesel caiu, a tarifa de ônibus também pode ser reduzida.

Mexeu com todos   Na sessão de ontem da Câmara Municipal de Manaus (CMM), todo o Poder Legislativo repudiou a interpelação judicial do Sinetram contra Marcelo Serafim. Os vereadores ainda voltaram a atacar a ação desastrosa da SMTU ao convocar o parlamentar para dar explicações sobre as denúncias a respeito do tema.

Tática  Irritado com a ação judicial do Sinetram contra o colega, o vereador Plínio Valério (PSDB) ensinou como o sindicato deve ser tratado a partir de agora: “Todas as vezes que se falar em Sinetram eu vou rir, vou avacalhar, vou ironizar, vou xingar”.

Mi$tério  Confirmando que esse tema é mais sensível do que se imagina, diversos deputados estaduais começaram a retirar a assinatura do requerimento que pedia a abertura  da “CPI do Diesel” - que deveria investigar  os gastos das empresas de ônibus com combustível e atestar se a população está sendo enganada.

Cerco   Há menos de três meses como titular da Susam, a enfermeira Mercedes Gomes faz mudanças estruturais na secretaria para coibir a prática de corrupção e ampliar o atendimento à população. 

Exame  Uma auditoria sobre os principais contratos de empresas que prestam serviços e fornecem medicamentos para Secretaria Estadual de Saúde está em andamento. O objetivo é melhorar a gestão administrativa da pasta.

Sem moral   Ao criticar as reformas feitas pelo maior líder de seu partido, presidente Michel Temer (PMDB), o vereador Gedeão Amorim disse, em discurso na CMM, que os políticos que estão conduzindo as reformas trabalhista e previdenciária no Congresso não têm moral para participar das votações.

PMDB e Cia. “A nossa crise começa na classe política. Praticamente todo o Congresso Nacional está arrolado na operação Lava Jato, sem falar nos Estados e municípios. Agora, imagina: as pessoas mais implicadas nas grandes denúncias estão promovendo a reforma da economia do País. Que esperança nós temos?”, questionou Gedeão.

Sumiço Os deputados estaduais começaram a se perguntar, ontem, por onde anda o colega Platiny Soares (DEM). O parlamentar desapareceu da Casa e há várias sessões não mostra a cara.

Ponto final? O julgamento do processo do governador José Melo no TSE será retomado nesta quinta-feira (4).