Sábado, 18 de Setembro de 2021
Editorial

Resistência à vacina põe todos em risco


vacina-covid-19-salvador-coronavirus-26072021210956147_D26DE82D-2B7F-497E-ACDB-A4EEBEF0C8B7.jpeg
28/07/2021 às 07:37

Notícias vindas dos Estados Unidos a respeito da pandemia de covid-19 causam preocupação e servem de alerta ao Brasil. Dois meses após desobrigar o uso de máscaras para vacinados, o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) volta a recomendar o uso do acessório em ambientes fechados e locais públicos do país que estejam com alto risco de transmissão para a covid-19. Isso se deve ao avanço da variante Delta, que é mais transmissível. Segundo os especialistas, o recuo também é necessário em face da resistência de parte da população norte-americana em se imunizar. A vacinação por lá tem desacelerado e pouco menos de 50% dos norte-americanos já tomaram as doses necessárias, um índice muito melhor que o do Brasil, onde menos de 18% estão totalmente imunizados.

A variante Delta é uma realidade e seu combate deveria estar entre as prioridades de todas as nações sérias. Vacinação, distanciamento social, higiene e uso de máscaras são as principais armas com eficácia já comprovada contra o vírus. Já está pacificado que não se pode obrigar as pessoas a se imunizar, mas a aplicação de sanções aos não vacinados tem surtido efeito. Na França, o cerco aos teimosos já é uma política de estado; o trabalhador que recusar a vacina poderá ser demitido. Medidas semelhantes já vigoram em outros Países. No Brasil, embora ainda não haja lei tratando do assunto, começa a se sedimentar entre juristas o entendimento de que é legal a demissão por justa causa de pessoas que rejeitam as vacinas.  Algumas decisões com esse escopo já estão chegando aos tribunais.

O fato é que, assim como nos Estados Unidos, a variante Delta está avançando no Brasil. Dados do Ministério da Saúde dão conta de que a variante Delta já foi identificada em 97 pessoas, de oito estados e do Distrito Federal, com oito mortes confirmadas. O País não precisa esperar que esses oito óbitos se transformem em oito mil para agir. Por ser muito mais contagiosa, a variante Delta pode se espalhar rapidamente em uma população com baixo índice vacinal.  Especialistas têm alertado sobre o risco de uma terceira onda que ainda pode ser evitada se medidas adequadas forem tomadas. O momento é de redobrar a atenção, tomar os cuidados  indicados e combater a desinformação, um dos principais fatores que alimentam a resistência às vacinas.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.