Publicidade
Sim & Não

Rossieli é condenado por omissão

06/10/2016 às 21:04 - Atualizado em 06/10/2016 às 21:35
Show rossieli0333

O secretário federal de Educação Básica do governo de Michel Temer (PMDB), Rossieli Soares Silva, foi condenado pela Justiça amazonense por improbidade administrativa. Rossieli foi acusado pela promotora Wandete Oliveira Netto de ignorar seguidas vezes pedidos de informação do Ministério Público Estadual (MP-AM) sobre a obra de uma escola. O fato ocorreu entre 2014 e 2015, quando Rossieli era secretário de Estado de Educação do Amazonas (Seduc).

Multa.   Na decisão, de 31 de agosto, a juíza da 3ª Vara da Fazenda Pública Estadual, Etelvina Lobo Braga, determina ainda que Rossieli pague multa no valor de dez vezes o salário que recebia à época.

Em grupo.  Outros três servidores da Seduc também foram condenados e multados: Narly Góes Gurgel do Amaral, Alcenir da Rocha Leite e Nelson Poli Teixeira Filho. A servidora  Maria Deusdete Oliveira de Lima, que também respondia à ação, foi considerada inocente.

Tá no ar.  Na briga de bastidores entre aliados de Artur Neto (PSDB) e Marcelo Ramos (PR) na CMM, ainda se mantém viva a ideia de que é possível abrir uma CPI no parlamento municipal em pleno 2º turno.

Em campo.  Terceiro vereador mais votado e presidente do PHS, o presidente da CMM Wilker Barreto está engajado em mobilizar a militância da sigla para um ato de apoio ao prefeito, marcado para sábado, 8.

Biometria... Muitos eleitores em Manaus não entenderam por que mesmo com a biometria correta e a foto deles no caderno dos mesários, ainda assim, era preciso apresentar um documento de identificação com foto na hora de votar.

...pra quê. Teve eleitor que só votou depois de voltar em casa para pegar um documento com foto. “Pelo que sei, não há uma digital igual a outra. E a minha foto estava lá com eles. Por que ainda assim era preciso apresentar documento com foto?”, questionou um leitor da coluna.

Tempo, tempo...  Alguns processos dormitam tanto tempo na Justiça amazonense que as testemunhas sequer lembram dos fatos quando são intimadas para falar sobre o caso. Devido ao tempo entre a ocorrência e os depoimentos, tem policiais indo depor em processos de pessoas presas por eles sem lembrar de mais nada sobre o ocorrido.

Tá demais.  Em representação feita ao TCE-AM, o procurador Ruy Marcelo Alencar de Mendonça diz que há indícios de terceirização abusiva em contratos da SEC e a AADC.

No pé.  Quem também entrou na mira do Ministério Público de Contas (MPC) essa semana foi o prefeito de Tefé,  Jucimar Veloso. A procuradora Elizângela Lima Costa Marinho quer que o TCE-AM enquadre o gestor por ignorar uma requisição do MPC.

Ser ou não ser.  Direta do deputado estadual José Ricardo (PT) a colegas de parlamento: “Não adianta o deputado colocar o lacinho em apoio à campanha Outubro Rosa, se não assina CPI para apurar os desvios da saúde”.

Caixa fechado.  Contabilidade feita pelo Ministério Público mostra que às vésperas do domingo de votação, 2, no interior, foram apreendidos R$ 247 mil nas mãos de pessoas ligadas a candidatos.