Segunda-feira, 27 de Janeiro de 2020
Editorial

Royalties e subdesenvolvimento


show_petr_leo_FA3BB82F-6593-4FB7-AE4F-B11EDCF3B64D.jpg
10/01/2020 às 07:16

O volume de R$ 184 milhões em royalties recebidos pelo Amazonas, entre janeiro e novembro de 2019, não conseguiu ser traduzido em melhoria de vida da população de 20 cidades, incluindo a capital, Manaus, dos 62 municípios amazonenses. Levantamento apresentado por A CRÍTICA, edição de quarta-feira, mostra que o nível do índice de Desenvolvimento Humano (IDH) tem variação de baixo a médio, sendo a classificação baixa a de maior incidência. Apenas Manaus aparece com IDH alto.

Os royalties são disputados também pelo discurso forte de que representam a entrada de recursos nas cidades que irão melhorar a qualidade de vida dos munícipes. A exploração do pré-sal gerou, mais recentemente, uma das mais intensas disputas por royalties e no conjunto os posicionamentos feitos têm em comum a necessidade de contemplar os municípios com parte dos recursos financeiros para melhorar a infraestrutura desses lugares e assegurar benefícios aos moradores.

O quadro apresentado pelo Amazonas demonstra a necessidade de as administrações municipais se tornarem mais ativas na discussão e na forma de aplicação desse modelo de repasse de verba. Os recursos financeiros são importantes para incrementar a economia municipal e devem ser utilizados nessa direção. O problema é que há distância enorme a ser percorrida até o que é dito se transforme em ação concreta. Se os administradores municipais não estão sendo capazes de fazer desse instrumento um meio de desenvolver o município serão as instâncias de representação social que terão o papel de fazer acontecer.

Para isso, o controle social é uma das saídas mais acertadas. Acompanhar o caminho do dinheiro, saber em que e como será empregado tende a gerar maior responsabilidade na ideia de participação direção da comunidade no destino do lugar onde vive. A definição do que é prioridade não para o gestor e sim à população e a vigilância sobre a aplicação da verba são etapas que não podem ser minimizadas, nelas residem as atitudes que irão fazer a diferença e poderão de fato tornar os diferentes recursos que estão destinados aos municípios aplicados em plataformas de desenvolvimento econômico-social dessas unidades. Esse tipo de postura é importante aliada no combate a corrupção e na construção de uma base firme nos negócios da esfera pública.
  
 


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.