Publicidade
Sim & Não

Sefaz sob o comando de José Melo: pasta passa a auxiliar decisões do governador

18/03/2017 às 16:00 - Atualizado em 18/03/2017 às 16:07
Show 78484

A reforma administrativa enviada pelo Governo do Amazonas à Assembleia Legislativa do Estado (ALE/AM) transforma a Sefaz em pasta umbilicalmente ligada à “Governadoria”, com a função de dar auxílio às decisões que serão tomadas diretamente pelo governador José Melo (Pros). Na nomenclatura da pasta a expressão “de Estado” deixa de existir, passando a ficar apenas “Secretaria da Fazenda”.  A mudança não vai gerar demissões, garante o Executivo Estadual.

Controle

Questionado sobre o que a mudança significa, na prática, o governo respondeu que “as secretarias veiculadas à Governadoria poderão auxiliar diretamente nas tomadas de decisão do governador”. 

Complicado

Quem acompanha a rotina do presidente do Tribunal de Contas do Estado (TCE/AM), Ari Moutinho, percebe que o conselheiro vem desenvolvendo a função no sacrifício.

Problema

Moutinho sofre de dores constantes na coluna  em virtude de hérnias de disco e problemas na  região sacroilíaca  (parte inferior da coluna). A pessoas próximas, ele diz que vai esperar o fim do mandato na presidência para se submeter à cirurgia. Faltam nove meses.

Peleja

A Defensoria Pública do Estado (DPE) vem tentando, sem sucesso, criar uma Casa Militar, para o órgão, nos moldes da que já existe no TJ/AM, MPE/AM e a na Assembleia. Para isso, precisa alterar a Constituição do Estado. 

Felizardos

Pela legislação vigente, o TJ/AM está autorizado a requisitar e manter à disposição, na Casa Militar do órgão, 107 policiais. Para o MP o número autorizado é de 41, para a Assembleia  40, o TRE/AM 18 e o gabinete do governador 61 policiais.

Desconfiança

A bancada federal do Amazonas em Brasília está com um olho na reforma tributária, que  pode trazer enormes prejuízos para a Zona Franca de Manaus, e outro no novo ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes, do PSDB. Quem o conhece afirma que os conceitos do ministro não favorecem em nada o Distrito Industrial.

Ser ou...

O ex-deputado estadual Marcelo Ramos (PR) vem dando respostas cifradas quando questionado se será candidato a governador em 2018. Na sexta ele declarou que se sente preparado para administrar e, tirando os postos do legislativo, pode ser candidato a qualquer outro cargo.

...não ser

“O Alfredo é nosso candidato a Senador. Na política a gente nunca sabe o que vai ser do futuro. Mas pra mim o legislativo é um rio que passou na minha vida. Já dei minha contribuição na Câmara e na Assembleia e, sinceramente, já me sinto preparado para administrar e quero ter essa chance”, declarou Ramos

Foco

Chefe do Departamento do Fundo Amazônia no BNDES, Juliana Santiago assegura que o combate ao desmatamento nos assentamentos federais na região amazônica passa a ser uma prioridade do fundo a partir de agora.

União

Para isso, Juliana avalia que o investimento também precisa ser destinado não apenas para o combate ao desmatamento, mas também contra a “cultura da grilagem”, com ações educativas e coordenadas dos governos federal, estadual e dos municípios.