Publicidade
Editorial

Segurança máxima

24/07/2016 às 19:46
Show  ndice

Os jogos do torneio de futebol da Olimpíada RIo 2016 em Manaus, na Arena da Amazônia, se aproximam e os órgãos de Estado começam a contagem regressiva para fazer com que tenhamos paz e segurança durante o evento que terá repercussão mundial. Por conta do terrorismo promovido por grupos extremistas, cujo mais notório exemplar e o Estado Islâmico, as autoridades de segurança estão redobrando esforços com vistas a fazermos um excelente papel como anfitriões, assim como aconteceu na Copa do Mundo de 2014.

Para isso será ativado hoje o Sistema Integrado de Comando e Controle, composto por mais de 30 instituições da União, do Governo do Estado e da Prefeitura de Manaus. Esse grupo vai monitorar em tempo real todos os pontos críticos da cidade ao longo de toda a duração da competição. São lugares como hotéis das delegações, Arena da Amazônia, centros de treinamentos, espaços de lazer e de turismo por onde devem circular atletas e torcedores.

Segundo o Secretário de Estado de Segurança Pública, Sérgio Fontes, os protocolos usados no plano de segurança elaborado para os jogos estão sendo seguidos à risca e o Amazonas está preparado para garantir a segurança de todos em que pese o fato de na semana passada a Polícia Federal ter prendido um amazonenses suspeito de integrar uma célula do Estado Islâmico que supostamente estaria planejando realizar atentados durante os jogos.

É bom mesmo que estejamos prontos, posto que Manaus estará por uma semana com os olhos do mundo sobre ela, posto que é incomensurável a atenção que evento deste porte desperta nos países e, por isso, nada de ruim pode acontecer com atletas e turistas.

Neste sentido é importantíssimo que os treinamentos, como o realizado ontem na Ponta Negra, tenham sido suficientes para preparar equipes que vão atuar de maneira integrada neste Sistema de Comando e Controle, que na Copa atuou de maneira irrepreensível. E de bom alvitre também que a expertise experimentada nestes dias seja aproveitada no pós olimpíada em benefício da melhoria da segurança em nossa cidade, hoje experimentando uma onda de violência sem precedentes e com o aparato do Estado sendo insuficiente para barra lá da maneira que a população espera.