Publicidade
Editorial

Superação

02/07/2016 às 14:21 - Atualizado em 02/07/2016 às 14:50
Show 6.6

A vida, como todos sabemos, é feita de desafios, vitórias e derrotas. O sucesso ou fracasso depende da postura de cada um diante de fatos sobre os quais não temos o menor controle. Muitos ficam abatidos diante de problemas como desemprego, doenças ou amores não correspondidos. Lamentam a má sorte e ficam a pensar por que o vizinho, o amigo ou qualquer outra pessoa parece ser tão mais feliz.

O que faria alguém com essa atitude se sofresse um acidente que o deixasse tetraplégico. Talvez transformasse a limitação física no centro de sua vida, considerando-se incapaz de seguir a carreira de seus sonhos, ou constituir família ou mesmo de ter uma vida plena. A advogada amazonense Nancy Segadilha provou que, independentemente da adversidade, a coragem para manter a cabeça erguida e seguir em frente é o estabelece a diferença entre o sucesso e o fracasso pessoal ou profissional.

O acidente automobilístico que a deixou tetraplégica não foi capaz impedir que seguisse a carreira que escolheu e exerce há quatro  anos de forma brilhante. Tão brilhante que ela ocupa atualmente o cargo de presidente da Comissão em Defesa da Pessoa com Deficiência da OAB-AM. Nancy é um exemplo de superação, da vitória do otimismo e da persistência diante de todas as previsões negativas. Uma das características de vencedores como Nancy é a disposição para compartilhar. Ela encara sua missão na OAB como oportunidade para retribuir, lutando por uma causa, que é ajudar as pessoas que enfrentam os desafios que ela conhece tão bem e que são vivenciados todos os dias por quem convive com alguma deficiência de natureza física.

Para Nancy, a vida é um dom precioso demais que só tem sentido se puder tornar melhor a vida de outras pessoas. Infelizmente, ser uma pessoa com deficiência (PcD) no Brasil significa ter que enfrentar o preconceito, a falta de respeito e de oportunidades em uma sociedade que não prima pela inclusão.

A sociedade toda precisa ter a consciência que se trata de pessoas comuns, seres humanos como quaisquer outros. Tudo que precisam é ter as mesmas oportunidades, com o reconhecimento de suas necessidades diferenciadas. Superar esses obstáculos não é tarefa das mais fáceis. Mas a vida de Nancy é exemplo de que é perfeitamente possível.