Publicidade
Editorial

TJ-AM reposicionado

19/04/2018 às 22:02 - Atualizado em 19/04/2018 às 22:55
Show tjam

Monitoramento do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) indica melhoria na qualidade dos serviços prestados pelo Tribunal de Justiça do Estado do Amazonas. O destaque é para os resultados obtidos no ano passado na Meta 1, a da produtividade do Judiciário. O TJ-AM aparece em quarto lugar na lista do CNJ na qual ocupou a penúltima colocação em 2015, e a última, em 2016.

O TJ-AM por anos seguidos apareceu na mídia em situações negativas e, por vezes, escandalosas.  No conjunto do Judiciário nacional integra o imaginário popular pela ideia mais desacreditada, servidores de alto nível, com remuneração elevada, privilégios e incapazes de tornar a Justiça mais ágil. Os componentes do relatório do CNJ mostram que a distância entre o desejável e o real ainda é grande, porém superar situações profundamente constrangedoras e prejudiciais à sociedade, como ampliar o nível de produção do órgão, é uma boa notícia. O TJ-AM dá sinais de disposição em participar de outros rankings mais positivos, de querer desmontar a imagem ruim que deixou ser construída pela população e de construir metas internas para a autossuperação.

Atuar no Judiciário do Amazonas exige determinação e dedicação profissionais para perceber as implicações da realização da Justiça em um território com diferentes configurações em relação as de outras regiões brasileiras. A tradição da Justiça remete a uma postura que ignora a realidade amazônica e, principalmente, aquela do interior amazônico, tratando-a de forma simétrica. O saldo dessa atitude tem sido a negação da Justiça a milhares de pessoas moradoras dessas localidades ou o atraso de longo prazo na prática da justiça. Ter um corpo de servidores públicos dispostos a mudar esse trajeto histórico é um dos desafios do TJ-AM e dos demais tribunais da região.

São esses servidores que podem apresentar demandas, representar e questionar tomadas de decisões equivocadas a partir do núcleo central de poder que desconhece a realidade regional ou a conhece virtualmente. A boa notícia que ora o TJ-AM recebe do CNJ numa das metas merece ser comemorada na dimensão de que mais conquistas necessitam ser feitas completando o bom desempenho em todas as metas. Quando isso ocorrer, o que a população espera não se demore tanto tempo mais, o Tribunal de Justiça do Amazonas estará vivendo outro estágio de atuação. A Justiça ágil e responsável passará a ser a imagem natural do órgão e de seus servidores.