Publicidade
Sim & Não

Transição: ‘dados são de desanimar’

28/09/2017 às 21:57
Show amazonino

As notícias repassadas ao governador eleito Amazonino Mendes (PDT) pela equipe de transição do governo do Estado vêm deixando o pedetista preocupado. “Estamos priorizando ver os números que estamos recebendo da Comissão de Transição, que não são nada animadores para quem vai assumir no último trimestre do ano com seu orçamento totalmente comprometido”, disse o vice-governador eleito Bosco Saraiva (PSDB). “Vamos ter que fazer arranjos para equacionar especialmente Saúde e Segurança”, afirmou.

Espanto Sobre os dados que chegam à mesa de Amazonino Mendes, o deputado estadual Dermilson Chagas (PEN), que vem mantendo contato constante com o pedetista, confidenciou: “Cada vez (que novas informações chegam) ele (Amazonino) toma um novo susto”.

Mistério Conforme apurou a coluna, a equipe de transição do governador eleito vem tendo dificuldades em obter dados precisos da área de saúde e também sobre as obras tocadas pela administração estadual.

Sigilo A respeito da escalação do time que fará parte do primeiro escalão do Executivo Estadual, Amazonino Mendes segue mantendo segredo. “Sobre secretariado ele não está dizendo nada. Primeiro ele vai pegar o diploma para depois se manifestar”, comentou Dermilson Chagas.

Paz e amor Se o secretariado de Amazonino ainda é uma incógnita, uma coisa o governador eleito já deixou claro: não quer alimentar qualquer clima de animosidade com a Assembleia Legislativa do Estado (ALE/AM).

Geral A ordem dada por Amazonino é que o grupo que o apoia no Legislativo Estadual chame para o diálogo deputados de toda as matizes, inclusive os ligados a David Almeida (PSD). “A conversa é sem distinção”, registrou um aliado.

Empolgado Na expectativa de que o novo governo resolva  o caos na saúde pública do Estado, o deputado Wanderley Dallas (PMDB) disse ontem na Assembleia: “Se o David Almeida não conseguir, o Amazonino resolve”.

Pré-produção O deputado estadual José Ricardo Wendling (PT) participa no Pará de um fórum organizado pelo Partido dos Trabalhadores que discute questões sobre a Amazônia e debate propostas para um possível programa de governo da campanha da sigla à Presidência da República.

Segredinho Questionado sobre o seu futuro político em 2018, José Ricardo, que disputou o governo do Estado este ano e, em Manaus, bateu Eduardo Braga (PMDB), fez suspense. “O PT vai participar da eleição em 2018. Eu vou ser candidato. Ao quê, não sei”.

Stop Do ponto de vista do deputado federal Pauderney Avelino (Democratas), a Câmara Federal deve analisar com mais agilidade a segunda denúncia da PGR contra o presidente Michel Temer, mas, ainda assim, vai paralisar “momentaneamente” a agenda de votações.

Alegações Temer e os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco (Secretaria-Geral) foram denunciados por organização criminosa e obstrução de justiça. Pauderney lembra que para a Câmara cumprir as próximas etapas, o presidente e os ministros precisam apresentar as defesas, o que ainda não ocorreu.