Publicidade
Editorial

Transporte cada vez mais inseguro

16/08/2017 às 22:25
Show transporte

Manaus vive uma escalada de insegurança sem precedentes no transporte público. Utilizar ônibus na capital tornou-se uma aventura arriscada. Os assaltos a coletivos são diários, aterrorizando passageiros e trabalhadores do sistema de transporte. Faz tempo que a “sensação de insegurança” deixou de ser apenas uma sensação. Neste ano, os assaltos a coletivos aumentaram 30% em relação ao mesmo período do ano passado, segundo dados da Secretaria de Segurança Pública (SSP). O poder público reconhece que não tem sido capaz de fazer frente ao problema. Desde janeiro, já foram presos 653 acusados de assaltos a ônibus, mas o número de casos só aumenta.

É preciso que ações de maior impacto sejam tomadas com urgência para devolver à população o mínimo de segurança a bordo dos coletivos. Não adianta jogar a responsabilidade de um órgão para outro. Em nota, a SSP ressaltou que a Prefeitura de Manaus é a instituição responsável pela concessão das empresa de transporte público e das empresas que podem contribuir com a instalação de equipamentos de segurança, como câmeras, nos coletivos. Outras medidas como a bilhetagem 100% eletrônica nos veículos também chegaram a ser discutidas, mas nada avançou.

O fato é que SSP, Manaustrans, empresas de transporte e trabalhadores precisam discutir o problema e traçar um plano urgente e de comum acordo para prover mais segurança ao sistema. Um encontro será realizado hoje e um dos pontos que estará em pauta será o custo e, principalmente, quem pagará pelas implantação das alternativas de segurança. Não existe saída grátis, e as empresas terão que tomar parte na solução, qualquer que seja.

Enquanto não se chega a um acordo, usuários e trabalhadores do transporte coletivo seguem constantemente sobressaltados, temendo a situação de insegurança que cresce a cada dia.

Tarde demais para o cobrador Edvan Menezes, esfaqueado ontem durante assalto em um dos no micro-ônibus que operam o serviço de transporte alternativo no Conjunto Viver Melhor, bairro Nova Cidade. Diariamente, pelo menos três carros que fazem essa linha são alvo de assalto.  A população clama por soluções.