Publicidade
Sim & Não

TSE põe água na fervura de vereadores

14/03/2018 às 22:22
Show camara

Apesar de vários membros da Câmara Municipal de Manaus (CMM) estarem empolgados com o troca-troca partidário, na expectativa de migrar para siglas com força no pleito deste ano, nenhum deles tem direito à janela partidária sem a garantia de que não perderão os mandatos. O ponto final sobre essa questão foi colocado pelo Tribunal Superior Eleitoral na última terça-feira (13), após consulta de vereadores que queriam se beneficiar da brecha na legislação. O TSE disse “não”.

Espera sentado O ministro Admar Gonzaga, relator da consulta, confirmou, com base na Lei dos Partidos Políticos (9.096/95), que o término do mandato justifica sim a mudança de agremiação. Logo, para os membros dos parlamentos municipais, essa brecha só abre em 2020.

Conselho Àqueles que insistem na ideia de mudar de partido, o presidente da CMM, vereador Wilker Barreto, alerta: “Não tem janela. Quem não combinar (a saída) com seu partido, esquece”, comentou. 

Cuidado Para evitar pendengas judiciais com o suplente ou o próprio MP, Wilker diz que as justificativas, previstas em lei, também precisam estar amarradas.

O último que sair... Se não tiver novas adesões, daqui a alguns dias o Pros ficará sem representação no Legislativo Estadual. Os deputados Sidney Leite e Belarmino Lins estão de saída

...apaga a luz Belarmino namora partidos que estejam sob as asas do governador Amazonino Mendes. Sidney esconde o jogo. Questionado sobre quando tomará a decisão, ele respondeu: “Vou até a prorrogação”.

Mais Pelo menos até agora, o Pros só contabiliza baixas. O ex-vice-governador Henrique Oliveira negocia a ida para o PSC. Ele saiu do Solidariedade e assumiu o comando do Pros há menos de seis meses.

Advogado O presidente do CREA/AM, Afonso Lins, disse à reportagem de A CRÍTICA, na  terça-feira (12), que não cabia ao Conselho fiscalizar a regularidade de obras. Um dia depois, ele mesmo foi à obra da Djalma Batista “atestar” a segurança da obra, conforme divulgou a Seminf.

Patrão Com salário bruto de R$ 16 mil na Prefeitura de Manaus, Afonso Lins ocupa um cargo de confiança na gestão Arthur Neto. É Ouvidor-Geral do Município. Ao ser procurado pela reportagem, anteontem, ele se recusou até em olhar fotos e vídeos da obra.

Comitê O deputado Serafim Corrêa (PSB) elogiou a união da bancada do Amazonas em torno da tentativa de barrar a privatização da Eletrobrás, mas lembrou: “A Eletrobrás Amazonas Energia é há 40 anos um comitê eleitoral”.

Solução Segundo Serafim, se não houver disposição de fechar o “comitê eleitoral que funciona na Eletrobrás”, é inevitável que a privatização ocorra. “Se despolitizar, ela tem tudo para dar certo. Mantida a política eleitoral dentro dos seus quadros tem tudo para dar errado”.

Birra Não passou de arenga a ameaça de paralisação na Universidade do Estado do Amazonas.  Ontem, as atividades da UEA transcorreram normalmente. Nenhum ato comprometeu o calendário acadêmico da instituição.