Publicidade
Editorial

Uma iniciativa em favor de Manaus

03/04/2018 às 21:38
Show marco zero

Desenvolvido pelo Instituto Amazônia, o projeto Revitalização do Marco Zero de Manaus acaba de ser apresentado em local emblemático da cidade, na área do Porto, Centro, que forma um dos ambientes de abandono e desfiguração. A proposta inclui a reativação de boas iniciativas como a Feira do Paço que passará a acontecer já partir do dia 7 em sua terceira temporada.

O Instituto Amazônia é uma Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP) e tem atuado na comunidade São Vicente, tendo como foco o acompanhamento socioeconômico de famílias carentes. O projeto a ser desenvolvido integra a proposta ‘Caminhos do Frei,’ contemplada com recursos da Caixa Econômica Federal por meio do edital Fundo Socioambiental. A ideia de desenvolver atividades que revitalizem o Marco Zero de Manaus é uma das primeiras iniciativas de mobilização para retirar a área central da capital amazonense da condição de imobilismo, violência e esvaziamento de atividades que, bem orientadas, podem impulsionar a economia e o turismo em suas diversas modalidades o que representaria postos de trabalho e valorização de reposicionamentos culturais da cidade.

Outro ganho é afetivo com possibilidade de mais pessoas se interessem em conhecer esses ambientes, conviver, e ter acesso às histórias da história de Manaus. Exercitar esse movimento é, normalmente, saudável em todos os lugares que o adotaram. Os laços construídos tendem a ser ampliados e envolver outros pontos da cidade numa composição capaz de somar esforços para proteger e conservar o espaço citadino como lugar de sociabilidades, de trocas culturais, de lazer e entretenimento. Manaus há muito reclama por tomada de posição que trate das suas dores, elimine os esparadrapos e recupere o vigor de ser cidade dinâmica e singular.

Mais propostas podem ser realizadas. Falta o poder público agir na direção de animar as boas iniciativas e de acompanhar adequadamente o desenvolvimento delas. É possível enfrentar o processo de brutalização da cidade de forma inteligente e criativa. A infinidade de recursos tecnológicos e de instrumentos legais para as parcerias podem ser manejadas a serviço da humanização de Manaus e da manutenção de uma conduta tanto por parte dos gestores quanto da sociedade, por meio de suas organizações, de valorização da cidade, como realidade e referência.