Publicidade
Sim & Não

Uso de instituições religiosas para fins eleitorais será questionado por comitê

09/07/2017 às 19:21 - Atualizado em 09/07/2017 às 21:51
Show 654654

O Comitê de Combate ao Caixa 2 do Amazonas levará hoje ao conhecimento do Ministério Público Eleitoral, o uso de instituições religiosas para fins eleitorais. No documento que será entregue ao MP devem ser citados três candidatos ao governo: Amazonino Mendes (PDT), que participou de um culto da Assembleia de Deus com postura de candidato; Eduardo Braga (PMDB), que participou de evento público do Ministério da Restauração; e José Ricardo Wendling (PT), que participou de ato em tom de campanha em uma paróquia da Igreja Católica.

Caixa 2

Hoje, às 10h, o Comitê de Combate ao Caixa 2 no Amazonas também vai levar ao procurador eleitoral, Vitor Riccely, as assinaturas dos candidatos que se comprometeram em não fazer uso do caixa 2 nesta campanha para governador. A prática será investigada pelo Ministério Público eleitoral e a Polícia Federal.

UEA

Candidatos ao governo do Estado não perderam a chance de se manifestar a respeito da situação financeira da UEA, que corre o risco de fechar 210 salas de aula no ano que vem, após perder recursos de R$ 115 milhões, em 2016. Os ex-governadores Amazonino Mendes e Eduardo Braga lamentaram a situação da instituição.

Funcionalismo

Presidente da Comissão de Serviço Público, o vereador Gedeão Amorim (PMDB) irá retomar o Projeto de Lei 126/2015, que pune o funcionário municipal que destratar os cidadãos durante o atendimento. O projeto altera o Estatuto do Servidor, em seu artigo 206, acrescentando o Inciso 15 com os “deveres do funcionalismo público”.

Engavetado

Apresentado inicialmente pelo ex-vereador Ednailson Rozenha (PSDB) em 2015, o projeto foi engavetado em 2016, ano das eleições municipais, pela maioria dos vereadores, para não gerar atrito com o funcionalismo público. Para Gedeão, a proposta tem que ser retomada tendo em vista o grande número de reclamações e denúncias contra servidores.

 

Efeito colateral

A crise econômica tem um efeito colateral que contribui para o aumento da produção no Polo Industrial de Manaus (PIM). Isso ocorre porque fabricantes que possuem linhas no Amazonas e no Sudeste, estão ampliando a produção nas plantas da  ZFM para se beneficiar dos incentivos fiscais próprios do modelo.

Monitores

Um exemplo são os monitores de LCD para uso em informática. O crescimento na produção desse item entre janeiro e maio desse ano foi de 1.132%. Segundo dados da Suframa, a produção foi perto de meio milhão de unidades nesse intervalo, consolidando Manaus como um dos maiores centros produtores desse tipo de equipamento no País.

Acampados

Até agora, os aprovados no concurso da Secretaria de Estado da Saúde (Susam) realizado há três anos, que seguem acampados em frente à sede da secretaria, na avenida André Araújo, Aleixo, não tiveram nenhuma resposta por parte do governo do Estado quando à eventual nomeação.

Acampados 2

Desde o dia 5, pelo menos 40 pessoas se revezam no acampamento montado em frente à secretaria. O concurso da Susam foi realizado em 2014 e a validade do certame foi prorrogada até 2019, mas os concursados temem que, com o caos político no Estado, acabem perdendo as vagas.