Segunda-feira, 14 de Junho de 2021
Editorial

Vacinação aos trancos e barrancos


show_show_vacina-indigena-aldeia-868x644_5C18E1B6-04E6-46E7-9D52-0AF5BD81E2F8__1__BE100516-2366-447A-871B-5547CC2883D5.jpeg
14/05/2021 às 07:43

Mesmo tendo superado a marca de 1 milhão de pessoas vacinadas contra covid-19, o Amazonas ainda tem menos de 10% de sua população imunizada com as duas doses da vacina. O Estado, que já foi líder em proporção da população vacinada, agora ocupa apenas a 18ª posição. Para efeito de comparação, Rio Grande do Sul e Mato Grosso do Sul já imunizaram mais de 22% de seus habitantes. É claro que superar a marca de 1 milhão de doses aplicadas não deixa de ser um alento, mais não resta dúvida que é preciso intensificar a vacinação, o que depende fundamentalmente da liberação de doses de vacinas por parte do Ministério da Saúde.

A queda no ritmo da vacinação não é um “privilégio” do Amazonas. Nas últimas duas semanas, a média diária da imunização caiu pela metade em todo o País. O Brasil já vacina menos que países como Alemanha, Reino Unido, França e Itália. Esta queda se deve principalmente à própria escassez de vacinas. Vale ressaltar que o principal imunizante aplicado no Brasil é a coronavac, vacina produzida pelo Instituto Butantan, mas que depende de insumos importados da China, um negócio que vem sofrendo abalos significativos devido aos ataques promovidos pelo próprio governo brasileiro ao seu parceiro comercial. E o pior é que esse cenário de escassez de imunizantes deve perdurar ainda por tempo indeterminado.

A esperança é a vacina da Pfizer, que foi reiteradamente desprezada pelo governo brasileiro em 2020, tema que vem sendo bastante debatido na CPI da Pandemia, em andamento na capital federal. Agora, porém, existe a previsão da chegada de mais de 15,5 milhões de doses da Pfizer até o final de junho. A notícia é boa, mas o volume de vacinas que será disponibilizado é suficiente para imunizar com duas doses pouco mais de 3% da população. Ou seja, a busca desesperada por vacinas vai continuar.

Nesse cenário, é impossível saber quando será cumprida a decisão da Justiça Federal que mandou o Ministério da Saúde enviar 40 mil doses de vacina para imunização de professores em Manaus. A vacinação dos professores é requisito essencial para o retorno das aulas presenciais com segurança. Professores, estudantes e pais... todos esperam com ansiedade a volta de alguma normalidade.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.