Publicidade
Sim & Não

Versão da PMM não se sustenta

24/02/2017 às 21:02
Show rotta033

Depois de acusar o governo do Estado de colaborar com o caos que se instalou no transporte coletivo da capital, alegando falta de segurança para a circulação dos ônibus na noite de quinta, a Prefeitura de Manaus foi obrigada a se desmentir. O prefeito em exercício, Marcos Rotta (PMDB), admitiu, ontem, que o Sinetram recusou a oferta da SSP/AM para que policiais circulassem dentro dos coletivos. Na noite de quinta, nota da PMM sugeriu que o caos ocorreu por descontrole na segurança pública.

Satisfação  Um dia depois de milhares de manauaras serem abandonados nas paradas de ônibus, justamente na volta para casa, o prefeito em exercício Marcos Rotta não quis se submeter aos holofotes da imprensa. Se reuniu  a portas fechadas com o titular  da SSP/AM, Sérgio Fontes, e se pronunciou apenas por nota. 

Indignação   Nas páginas que Rotta e o prefeito Artur Neto (PSDB) mantêm nas redes sociais, os eleitores demonstram que perderam o encanto com a atual gestão. O descontrole no transporte coletivo foi o estopim. Desta vez, a página de Artur no Facebook sequer registra as notas da Prefeitura de Manaus que tratam do assunto.

Constrangimento  Os vereadores Plínio Valério e Dante, que representam o PSDB na Câmara, ficaram acuados na audiência pública que discutiu o reajuste da tarifa. Plínio nem apareceu. Dante chegou duas horas atrasado e fez um discurso de dois minutos, onde tentou com pressa culpar o Estado pela crise no  transporte.

De volta!  Ex-vereador pelo PT, o Professor Bibiano aproveitou,  literalmente, o vácuo deixado na audiência de ontem pelos tucanos. Chegou cedo na Câmara e, curiosamente, sentou exatamente na cadeira de Plínio, que estava desocupada. 

Orientação  Antes de discursar na reunião que debateu o  aumento da tarifa de ônibus, na CMM, a vereadora Joana D’Arc (PR) buscou os conselhos do ex-deputado Marcelo Ramos, presidente municipal do PR, via WhatsApp.

Pé do ouvido   Já a SMTU e a Casa Civil destacaram servidores especialmente para garantir que os vereadores da base não ficasse perdidos durante a audiência. Os técnicos foram de cadeira em cadeira municiando os aliados do prefeito Artur.

Rebelião  Cabo eleitoral de Artur Neto na campanha de 2016, o vereador Reizo Castelo Branco (PTB) se rebelou ontem contra o tucano. “Quero saber o que a Prefeitura está fazendo para fiscalizar a melhoria das  “porcarias” desses ônibus que estão aí na rua colocando em risco os passageiros”.

Ufa!   Em meio à revolta, Reizo acrescentou: “Graças a Deus nunca precisei de ônibus, porque meus pais tinham condições. Mas conheço bem a situação do povo”.

Impedimento   O presidente da OAB/AM, Marco Aurélio Choy, sustentou, ontem, ser impedido de mover ações contra a Prefeitura, porque ocupa cargo concursado de procurador do município. “Tal fato não impede que a instituição OAB/AM, por meio de sua sucessão legal, promova ações contra a Municipalidade”, admitiu.

Talvez  Segundo ele, a OAB/AM ainda pode ajuizar ação contra o aumento da tarifa, desde que o Conselho Seccional assim decida, em reunião com um quorum de 16 conselheiros.