FOGO CONTROLADO

Insatisfeitos com falta de pagamento causam princípio de incêndio na Cidade Garantido, em Parintins

Sites locais afirmam que a manifestação foi promovida por um grupo de kaçauerés, que são as pessoas responsáveis por transportar e operar as alegorias da Associação Folclórica Boi Bumbá Garantido durante o festival

Natasha Pinto
online@acritica.com
28/06/2022 às 18:16.
Atualizado em 28/06/2022 às 20:52

(Foto: Reprodução/Internet)

Um princípio de incêndio dentro da Cidade Garantido, em Parintins, foi controlado na tarde desta terça-feira (28) pelo Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas. Manifestantes atearam fogo em papelotes armazenados no local durante um protesto.

Sites locais afirmam que a manifestação foi promovida por um grupo de kaçauerés, que são as pessoas responsáveis por transportar e operar as alegorias da Associação Folclórica Boi Bumbá Garantido durante o festival. 

Segundo o apurado pelo Portal Noticiário de Parintins, o motivo da manifestação é o não pagamento pelo serviço, que estava previsto ocorrer para hoje.

Os trabalhadores disseram que não irão retirar as alegorias do pátio do Bumbódromo até que seja cumprido o acordo. 

Ainda de acordo com o site parintinense, representantes do Garantido estão no local conversando com os manifestantes para entrarem em um acordo.

Posicionamento

O coordenador do translado do Garantido, Ronaldinho Gadelha, disse ao A CRÍTICA, sem entrar em detalhes, que eles conseguiram entrar em acordo com os kaçauerés. Ronaldinho repudiou o ato de incendiar materiais no complexo do garantido.

"Em uma caixa de maçãs, há sempre uma podre. Assim começa a apodrecer as outras", disse o coordenador, em referência à um ditado popular. Para o Festival de Parintins, a diretoria do Garantido contratou 210 kaçauerés para fazer o translado das alegorias.

Em nota, o Garantido informou que a vice-presidente do boi, Ida Silva e a diretora Ana Miranda estão na Cidade Garantido resolvendo o pagamento dos 160 kaçaueres.

"Uma parcela foi paga hoje e o restante será marcada uma data que será informada aos trabalhadores", diz a nota. 

De acordo com Ida, a situação foi resolvida e os trabalhadores serão pagos, "pois trabalharam e cumpriram suas obrigações". Além disso, ela disse que o patrimônio do boi deve ser preservado.

CRISE VERMELHA E BRANCA

Após as três noites de espetáculo do Festival de Parintins, diretorias e itens do Boi Bumbá Garantido anunciaram nas redes sociais os seus desligamentos, o que causou revolta dos admiradores do boi do coração na testa.

Uma das saídas mais questionadas foi do levantador de toadas Sebastião Júnior, que anunciou o seu desligamento na terceira noite do festival.

Assuntos
Compartilhar
Sobre o Portal A Crítica
No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.
Portal A Crítica© Copyright 2022Todos direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por