Polícia

Embriagado, sargento da polícia militar faz disparos e agride proprietária de bar em Manaus

Primeiro sargento Hevertoh Ribeiro de Brito, lotado na 19ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), também agrediu clientes do bar. Policial foi levado até à delegacia.

Natasha Pinto
online@acritica.com
01/08/2022 às 17:15.
Atualizado em 01/08/2022 às 17:15

O primeiro sargento Hevertoh Ribeiro de Brito, lotado na 19ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), deveria estar trabalhando, mas foi preso na noite deste domingo (31) em um bar no bairro Nova Esperança, zona oeste de Manaus. Ele teria agredido a dona do estabelecimento, a filha dela, efetuado disparo de arma de fogo e desacatado um Supervisor de Área da própria Cicom.

De acordo com o registro da ocorrência, era por volta de 22h30, quando o primeiro sargento chegou ao local acompanhado de outro homem. Eles sentaram e consumiram várias bebidas alcoólicas, depois foram para a frente do bar. Receosa em não ser paga, a dona do local foi até o portão, verificar se a dupla havia ido embora.

Ao chegar, ela viu Hevertoh conversando com uma terceira pessoa e aparentava estar com raiva. Neste momento, o policial militar percebeu a presença da mulher e já começou a tratá-la de forma grosseira. A vítima então explicou que só estava ali para perguntar se ele já iria embora e pagaria a conta, foi quando ele desferiu vários socos na mulher.

Os clientes ao verem a cena, tentaram defender a vítima, neste momento o amigo de Hevertoh agrediu um destes clientes com a arma na região da cabeça. Durante a  confusão, esse mesmo amigo, agrediu a filha da vítima, a puxando pelo cabelo, machucando sua orelha.

Ao ver os clientes tentando defender a mulher, o primeiro sargento da 19° Cicom disparou oito vezes no local que é fechado, neste momento uma viatura da mesma Cicom passava pelo local e foi verificar o que estava acontecendo. Quando a guarnição entrou no bar, o policial militar Hevertoh chamou a todos de bandidos e pediu para que fossem presos.

As testemunhas então explicaram o que tinha acontecido para os policiais militares das 19ª Cicom, que foram conversar com o militar, onde acabou desacatando o S.A e recebendo voz de prisão no local. Durante a situação, o amigo do policial conseguiu fugir, sem ser identificado.

Hevertoh ainda chegou a ser levado para o Serviço de Pronto Atendimento (SPA) Joventina Dias, pois estava com um ferimento no braço, por ter levado uma cadeirada. A pistola 9mm do primeiro sargento foi apreendida e ele apresentado no 19° Distrito Integrado de Polícia (DIP), onde o caso foi registrado. 

Depois foi conduzido para o Núcleo Prisional da Polícia Militar e aguarda pela audiência de custódia, cujo processo ainda não foi enviado para a Justiça até o fim da tarde desta segunda-feira (1).

Faltou o trabalho

De acordo com o relatório da Polícia Militar, o primeiro sargento Hevertoh Ribeiro de Brito, estaria escalado para dar serviço de 12h, no segundo turno deste domingo (31), iniciando o trabalho às 19h.

Entretando foi confirmado nesta segunda, que assim como outros cinco policiais militares, ele não compareceu ao trabalho e também não justificou sua ausência.

A reportagem de ACRÍTICA entrou em contato com a Polícia Militar, para saber se o sargento continua preso e quais medidas serão adotadas pela corregedoria e aguarda resposta.

Também entramos em contato com a Polícia Civil, para saber o motivo do processo não ter sido enviado para a Justiça, onde também aguardamos resposta.

Assuntos
Compartilhar
Sobre o Portal A Crítica
No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.
Portal A Crítica - Empresa de Jornais Calderaro LTDA.© Copyright 2022Todos direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por