Terça-feira, 19 de Janeiro de 2021

Lista tríplice para vaga no TCE tinha nome de Josué Neto e outros dois servidores da Aleam

Após vitória de Josué, que sucederá o pai Josué Filho, no cargo vitalício, ouviu-se fogos de artifício na Casa Legislativa. 


48593505251_228d10361a_o_98F94170-FFE3-4703-A934-3D29DFF154D8.jpg

A lista tríplice de indicação ao cargo vitalício de conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE-AM) tinha, além do nome do presidente da Casa e que foi indicado ao cargo, deputado Josué Neto (Patriota), o nome de outros dois servidores da Assembleia Legislativa do Amazonas: Jorge Luiz Jordão (diretor de apoio da mesa diretora) e Vander Laan Reis Góes (procurador-geral da Aleam).

Após vitória de Josué, que sucederá o pai Josué Filho, ouviu-se fogos de artifício na Casa Legislativa. O efeito surpresa inviabilizou qualquer outra indicação ao cargo. Tudo isso  em meio ao clima de guerra entre deputados na Aleam e antes do recesso parlamentar.

A assessoria de Josué Neto enviou release para a imprensa informando que a indicação do deputado teve 23 votos, ou seja, “por unanimidade”. Fontes ouvidas pela coluna afirmam que não estavam todos os deputados em plenário e, por não ter havido uma votação nominal, Josué alegou ter tido todos os votos favoráveis dos colegas. Josué pediu que os deputados que concordassem com a sua indicação permanecessem como estavam. Ninguém se manifestou contrário. 

Fontes também afirmam que Josué fez um acordo com os 16 deputados que garantiram a eleição de Roberto Cidade (PV) para novo presidente da Aleam, no episódio da PEC miojo que mudou, de forma instantânea, a Constituição do Estado e antecipou a eleição da Mesa Diretora. 


Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.