Terça-feira, 13 de Abril de 2021

“Na Polícia Federal não vai passar boiada”, diz Saraiva

Chefe da PF no Amazonas rebate, em entrevista à Folha de S. Paulo, críticas do ministro do Meio Ambiente


SARAIVA_DF70126B-E707-4755-972E-58D17B1D31CF.jpg Arquivo/A Crítica

Em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo, o chefe da Polícia Federal do Amazonas, Alexandre Saraiva, rebateu as críticas feitas à corporação pelo ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, e afirmou que é a primeira vez que vê um titular da pasta ambiental se manifestar de maneira contrária a uma ação que visa proteger a floresta amazônica. E provocou: “Na Polícia Federal não vai passar boiada”.

A reação de Saraiva ocorre quatro dias depois da visita do ministro Salles ao Estado do Pará, onde ele fez uma "vistoria" à operação coordenada por Saraiva e que apreendeu, desde dezembro de 2020. mais de 200 mil metros cúbicos de madeira. Salles apontou falhas na ação e tem dito que há elementos para achar que as empresas investigadas estão com a razão.

Na entrevista à Folha, Saraiva diz que a postura de Salles é “o mesmo que um ministro do Trabalho se manifestar contrariamente a uma operação contra o trabalho escravo”. Segundo  o chefe da PF no Amazonas, tudo que foi apreendido até agora é produto de ação criminosa. Ele afirma também que as empresas – que sequer podem ser chamadas assim, pois são uma "organização criminosa" – ainda não apresentaram documentos requisitados pela polícia.


Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.