Segunda-feira, 12 de Abril de 2021

Omar ataca Pazuello e diz que ministro enganou o Amazonas


aziz_senado_B744ED73-D63E-4B09-BD3A-8D97DAD01A8E.jpeg

O senador Omar Aziz (PSD-AM) disparou contra o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, durante reunião reunião virtual da Comissão Temporária da Covid-19 do Senado com governadores. " O ministro Pazuello nos enganou no Estado do Amazonas, prometeu que (em fevereiro) todas as pessoas acima de 50 anos seriam vacinadas e até hoje estamos esperando essas vacinas", criticou o senador.

Em meados de fevereiro, o ministro anunciou que o Amazonas começaria a vacinar pessoas acima de 50 anos em 22 de fevereiro - meta essa que ainda está bem longe de ser cumprida. "O que o Ministério da Saúde não pode é criar uma expectativa e não cumprir”, criticou Omar, que também apontou o negacionismo do Governo Federal como um dos motivos para a atual situação da pandemia no Brasil. "A saída realmente é a vacina que é quase que unanimidade no Brasil. Infelizmente, o negacionismo, a falta de visão nos levaram a esse caos".

Durante a reunião, Omar sugeriu a criação, com auxílio do Governo Federal e do Legislativo, de Centros de Reabilitação para tratar de pacientes com sequela da Covid-19.   “As sequelas são terríveis e o povo não tem condições de pagar fisioterapeuta, de pagar psicólogo. Quantas pessoas  estão com problemas neurológicos hoje por causa dessa doença, no Brasil afora? Quantas pessoas estão com problemas pulmonares por causa dessa doença? Quantas pessoas vão ter que fazer hemodiálise o resto da vida? Se (essas pessoas) não forem tratadas, se tornará irreversível e isso trará também um problema muito grande para a saúde e para a gestão dos governadores e prefeitos dos diversos estados brasileiros. É importante esta comissão criar condições para que os Estados possam criar Centros de Reabilitação para essas pessoas”, frisou.


Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.