Publicidade
Cotidiano
AEROPORTO

Passageiros de voo para NY passam Réveillon ‘presos’ em avião no aeroporto de Manaus

Vindos do RJ, eles ficaram cerca de 2 horas impedidos de sair da aeronave após passageira passar mal e causar pouso forçado. O voo não seguiu e foi remarcado 01/01/2017 às 18:41 - Atualizado em 01/01/2017 às 19:20
Show c6057d0c 7a14 454d b2bb 30714602dff1
(Foto: Divulgação)
Vinicius Leal Manaus (AM)

Passageiros de um voo American Airlines AA 974 com trajeto Rio de Janeiro/Nova York passaram a virada do ano para 2017 “presos” dentro de uma aeronave Boeing 777-200 no Aeroporto Internacional Eduardo Gomes, em Manaus. Cerca de 300 passageiros, entre crianças, adultos e idosos, ficaram cerca de 2 horas impedidos de sair do avião após uma passageira passar mal e causar pouso forçado na capital amazonense. O voo não seguiu viagem, foi remarcado para amanhã e eles estão sem bagagens.

“Já tínhamos passado por cima de Manaus e estávamos perto de Boa Vista quando a passageira passou mal, teve duas convulsões e quase morreu. Ela ficou roxa. O voo teve que voltar para deixar ela aqui”, explicou a advogada Débora Ferreira, 47, que viaja com o esposo, o comerciante Eduardo Ferreira, 43, e o filho de 12 anos. “Ela teve um ataque epilético durante o voo. Os passageiros que eram médicos que salvaram a menina, porque ninguém deles deu assistência. Não tinham os remédios necessários”.

Originalmente, o voo embarcou de Fortaleza na sexta-feira (30), fez parada de embarque de passageiros no Rio de Janeiro e, logo em seguida, seguiria direto para Nova York. Porém, problemas técnicos na aeronave fizeram o voo ser adiado, pela primeira vez, do dia 30 para o dia 31, sábado. “No sábado, o novo voo estava marcado às 14h45, mas atrasou também e a gente só conseguiu levantar voo horas depois. E a gente já com medo de perder a virada. Foi dito que chegaríamos em Nova York às 10 da noite, ou seja, ficaríamos com duas horas para chegar até o hotel e ver a virada. Aí quando embarcamos, aconteceu isso com a moça que passou mal”, disse a advogada Débora.

Socorro à passageira

Os passageiros denunciaram a demora para socorrer e retirar a passageira do avião e a falta de informação. “Para retirar ela do avião demorou horas. Eles não deram ceia para a gente. Passamos o Réveillon sem água e sem comida. Ficamos quase 2 horas dentro da aeronave esperando uma posição, impedidos de sair, quando por volta de 1 da madrugada disseram que iam nos trazer para cá (hotel), sem as nossas bagagens. O piloto disse que não ia liberar as malas. Depois disseram que o novo voo ia sair às 9h30 de hoje, mas também não saiu, e remarcaram para amanhã”, completou a advogada.

Segundo os passageiros, após serem levados para o Hotel Caesar Business, na Zona Centro-Sul de Manaus - um dos hotéis reservados pela companhia aérea, foi servido uma ceia simples por volta das 2h deste domingo (1º), mas alguns passageiros ficaram sem comer. “Teve gente que chegou e não tinha mais comida aqui no hotel. A tripulação jogou a comida no chão para não servir para nós. Sem objetos pessoais, compramos algumas roupas na única loja que estava aberta no aeroporto. Foi uma confusão para conseguir táxi para todo mundo. Então a gente pegou táxi por conta própria e veio para cá”, disse o comerciante Eduardo Ferreira, 43.

Famosos no voo

Entre os passageiros do voo estavam os atores Danielle Winnits, 43, e André Gonçalves, 41, casados, e o filho deles, e também membros do grupo de pagode Revelação. A atriz Danielle Winnits contou como foi passar o Réveillon dentro do avião. “O tratamento da American Airlines não poderia ser mais esdrúxulo, porque um Boeing com 300 pessoas e um atendimento de quinta categoria, sem informação sem o mínimo de perspectiva”, disse a atriz, no saguão do hotel Caesar Business ao redor dos filhos e de outros passageiros. “O que salva é que o brasileiro tem esse espírito de união e bom humor. Acabamos virando uma família no Réveillon”, disse.

O ator André Gonçalves falou sobre o péssimo atendimento da companhia aérea. “A American Airlines não estava preparada para esse incidente. Não tinha oxigênio, medicamento. A sorte é que tinham três médicos no avião que puderam dar um suporte. Ficamos sem água, sem comida, sem poder levantar da cadeira, sendo mal tratados pelos funcionários muito mal educados. Desembarcamos sem as nossas malas, sem remédios, medicação de pessoas mais velhas e crianças, fraldas, roupas. Em nenhum momento fomos assessorados pela American Airlines com informações, com o mínimo de respeito. Fomos jogados no hotel. Já são três dias de viagem e não veio um funcionário aqui conosco. American Airlines faz um desserviço para a aviação no Brasil”, disse.American Airlines

Em nota, a American Airlines confirmou que o voo foi adiado do dia 30 para o dia 31 no Rio de Janeiro por necessidade de manutenção, e que durante o percurso para Nova York, teve que alternar para o Aeroporto Internacional de Manaus (MAO) por conta de uma emergência médica com uma passageira, causando cancelamento devido à escala da tripulação. “Todos os passageiros estão recebendo assistência e serão acomodados no próximo voo para Nova York, programado para partir em 2 de janeiro, às 9h30 (horário local)”.