Publicidade
Manaus Hoje
POLÍCIA

Taxista é morto com tiro na nuca durante assalto na Cachoeirinha, em Manaus

De acordo com a Polícia Civil, os executores seriam dois homens que se passaram por passageiros. Após o crime, eles fugiram a pé 28/11/2017 às 11:03 - Atualizado em 28/11/2017 às 11:07
Show taxi
Foto: Jander Robson/Freelancer
Dani Brito Manaus (AM)

O taxista Marlon Tiago de Souza Campos, de 33 anos, mais conhecido como “Batatinha”, foi assassinado com um tiro na nuca na madrugada desta terça-feira (28), em Manaus, durante um assalto na avenida Castelo Branco, bairro Cachoeirinha, na Zona Sul da cidade.

A vítima ainda chegou a ser socorrida e levada ao Hospital e Pronto Socorro 28 de Agosto, mas não resistiu aos ferimentos e morreu por volta de 3h25.

De acordo com a Polícia Civil, os executores seriam dois homens que se passaram por passageiros, já que ambos estavam dentro do táxi que a vítima trabalhava, um automóvel modelo Meriva de placas NON-3607. Após atirarem contra Marlon, os dois infratores fugiram do local a pé.

A carteira e o aparelho de som do automóvel foram levados, no entanto, o celular da vítima foi encontrado dentro do táxi. Policiais civis da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) estiveram no local e colheram algumas informações que devem auxiliar nas investigações.

Na manhã desta terça (28), familiares do taxista aguardavam a liberação do corpo na sede do Instituto Médico Legal (IML). Eles falaram à reportagem que Marlon nunca tinha reagido a assaltos.

“Estamos muito tristes. Ele sempre trabalhou a noite e já tinha sido assaltado outras vezes. Nunca reagiu, mas ele tinha ganhado um spray de pimenta e quando foi usar para se livrar dos bandidos acabou sendo morto”, disse a mãe do taxista, a empregada doméstica Conceição Campos, 55.