Publicidade
Manaus
TABAGISMO

Cerca de 60% dos fumantes que procuraram ambulatórios pararam de fumar, diz Semsa

De acordo com dados da Semsa, entre 2013 e 2016, em Manaus, cerca de 1,7 mil pessoas passaram pelo Programa Municipal de Controle do Tabagismo 06/12/2017 às 07:48
Show fumantes
Partiu de Priciane (à esquerda) a iniciativa para que a mãe dela, a agricultora Alice Cunha, abandonasse o vício do cigarro. Foto: Antonio Lima
Silane Souza Manaus (AM)

Há seis anos o cigarro não faz mais parte da vida da agricultora Alice Marinho da Cunha, 57. Ela começou a fumar aos sete anos de idade, influenciada pelo modo de viver das populações ribeirinhas do Amazonas, e só largou o hábito ao procurar o Programa de Tratamento de Tabagismo da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa). 

De acordo com dados da Semsa, entre 2013 e 2016, em torno de 1,7 mil pessoas passaram pelo Programa Municipal de Controle do Tabagismo, que tem um índice de cessação (pessoas que param de fumar) de aproximadamente 60%. Taxa acima da média nacional, de 50%. 

No último fim de semana, a Gerência de Promoção da Saúde da Semsa promoveu o 2º Encontro de Egressos do Programa de Tratamento de Tabagismo com os usuários que conseguiram abandonar o cigarro depois de atendimento nos Ambulatórios de Tratamento de Fumantes para lembrá-los o quanto é importante viver sem o fumo.

No caso de Alice, o empurrão foi dado pela filha Priciane, 35, que um dia lhe entregou o panfleto do serviço oferecido na rede municipal de saúde. “Não foi fácil! A sensação de que estava faltando algo era grande. Driblava fazendo uma coisa, fazendo outra, e quando vi realmente não queria mais fumar”, disse.

Conforme a gerente de Promoção da Saúde da Semsa, Francinara Lima, a nicotina causa dependência física, psíquica e comportamental. Apenas 3% dos fumantes conseguem parar de fumar sozinhos. “Com apoio profissional esse percentual aumenta 20 vezes”, destacou.

Programa

O Programa Municipal de Controle do Tabagismo foi implantado em Manaus, em 2007, com objetivo de apoiar pessoas que desejam abandonar o fumo. O tratamento é constituído por quatro sessões estruturadas e duas de manutenção e é baseado na abordagem cognitivo-comportamental. 

De acordo com a necessidade de cada um, também é realizado o atendimento individual e medicamentoso quando necessário. “O maior desafio é a pessoa se sensibilizar para os malefícios do cigarro. Quando ela internaliza que o tabaco está prejudicando a sua saúde, ela tem o desejo de parar de fumar e nós estamos à disposição para receber esses usuários”, afirmou Francinara.

Procurando ajuda?

Quem é fumante e tem o desejo de abandonar o vício pode ligar grátis para o telefone 0800.280.8.280 para saber qual Unidade Básica de Saúde (UBS) mais próxima de sua casa precisa procurar para fazer o tratamento oferecido pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Ao todo, há 22 Ambulatórios para Tratamentos de Fumantes em Manaus, com cobertura de todos os cinco Distritos de Saúde.

Menos fumantes ativos, mais passivos

Manaus é a 4ª capital brasileira com a menor prevalência de fumantes (5,6% da população), atrás de São Luiz (5,4%), Aracaju (5,4%) e Salvador (5,1%). A capital do Amazonas figura em 19º lugar quando se trata do número de fumantes passivos (aqueles que apenas inalam a fumaça do cigarro, principalmente em ambientes fechados), de acordo com dados da pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel), divulgada em agosto pelo Ministério da Saúde.