Publicidade
Manaus
FORÇA-TAREFA

Investigação descarta envolvimento do PCC em chacina no bairro da Compensa

A força-tarefa criada pela SSP-AM informou que chacina foi uma represália ao assassinato do ex-presidiário “Buiú”, que foi morto com quatro tiros, na tarde do mesmo dia da chacina; pistoleiros mataram o "Buiú" errado 14/12/2017 às 21:34 - Atualizado em 14/12/2017 às 21:40
Show compensa
Foto: Arquivo/AC
Joana Queiroz Manaus (AM)

Investigações feitas pela força-tarefa que foi criada para identificar os autores da chacina ocorrida na noite da última terça-feira no Centro Social Urbano (CSU), do bairro Compensa 2, descartaram o envolvimento da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC) no caso. A principal  linha de investigação é de que o crime foi motivado por vingança interna da facção Família do Norte (FDN).  Na chacina, seis pessoas morreram e nove ficaram feridas.

De acordo com o que foi apurado até esta quinta-feira (14), segundo integrantes da força-tarefa, a chacina foi uma represália ao assassinato do ex-presidiário George Alberto Barreto, 30, “Buiú”, que foi morto com quatro tiros, na tarde do mesmo dia da chacina, após ser perseguido por um homem, ainda não identificado, em um terreno próximo ao Residencial Mestre Chico do Programa Social e Ambiental dos Igarapés de Manaus (Prosamim), bairro Cachoeirinha, na Zona Centro-Sul.

Conforme as investigações, os pistoleiros que mataram George mataram o “Buiú” errado. O alvo era um traficante também chamado “Buiú”, que está no lugar de Ramerson Albuquerque de Oliveira, 28, o “Gogonha”, assassinado a tiros no beco Tarumã, bairro Praça 14, Zona Sul. “Gogonha” trabalhava para o traficante João Pinto Carioca, o “João Branco”.

Terror no CSU

Os atiradores, cerca de dez homens chegaram ao local em três carros e duas motocicletas e foram mandando todos que estavam no campo deitarem. O alvo deles era os pistoleiros  dos gerentes do tráfico que trabalham para o traficante Luciano Fernandes, que é filho José Roberto Fernandes, o “Zé Roberto da Compensa”, líder maior da FDN.

Até ontem, a polícia já tinha apreendido duas picapes e um carro modelo Gol, usados pelos atiradores. De acordo com o titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), Juan Valério,foi coletado vasto material de provas que serão analisadas e poderão levar aos matadores do CSU da Compensa.

De acordo com o delegado, a polícia tem dificuldades para conseguir informações, pois a “lei do silêncio” prevalece no bairro.  A polícia também está trabalhando para identificar de quem partiu a ordem para a chacina. A chacina ocorreu por volta das 22h, durante um treino do time  T5 Jamaica, o Compensão, que, segundo a polícia, é bancado pela facção FDN.

Vítimas fatais: homens com até 35 anos de idade

Algumas das vítimas morreram no local e outras ainda chegaram a serem socorridas, mas acabaram morrendo em unidades hospitalares da cidade. Seis homens, todos jovens com idade abaixo de 35 anos, morreram e pelo menos oito pessoas ficaram feridas e foram levadas para os prontos socorros.

Publicidade
Publicidade