Publicidade
Manaus
POLÍTICA

Hiram Nicolau, Isaac Tayah e David Reis são os vereadores com mais faltas na Câmara

Em 2017, a CMM realizou 125 sessões ordinárias. As reuniões são realizadas sempre de segunda a quarta-feira 10/01/2018 às 08:33 - Atualizado em 10/01/2018 às 10:18
Show trio 123 xxx
A “força maior” é a justificativa para as faltas de Hiram Nicolau; das 35 faltas justificadas de Isaac Tayah, a maioria também foi “por força maior”; para David Reis, 22 faltas não impactaram sua atuação na Câmara Municipal. Foto: Arquivo AC
acritica.com Manaus (AM)

Dos 41 vereadores da Câmara Municipal de Manaus (CMM), os parlamentares Isaac Tayah (PSDC), David Reis (PV) e Hiram Nicolau (PSD) aparecem com o maior número de faltas nas reuniões ordinárias realizadas na casa legislativa durante o ano passado. Os dados estão disponíveis na área de transparência do site da CMM.

Em 2017, a CMM realizou 125 sessões ordinárias. As reuniões são realizadas sempre de segunda a quarta-feira. Às quintas e sextas-feiras, os vereadores se reúnem nas Comissões Técnicas da Casa, que são grupos de trabalho específicos voltados para áreas de interesse da sociedade. O mês de maio e agosto contou com mais sessões, foram 14 em cada.

O vereador Isaac Tayah possui 35 faltas justificadas. A maioria por “força maior” e sete delas com a apresentação de atestado médico. Isaac compareceu a 90 sessões ordinárias. A reportagem tentou entrar em contato com o parlamentar, mas não obteve retorno.

Em segundo lugar entre os mais faltosos está o vereador David Reis, com 22 faltas. Ele afirma que as ausências não impactaram a sua atuação na casa legislativa. “Estávamos justamente em compromissos que não poderiam ser adiados. [...] São faltas justificadas, de forma que eu não poderia adiar e os compromissos oficiais que a gente tem. [...]”.

Ele destacou que entre as faltas registradas estão o período em que ficou de licença por conta uma cirurgia de hérnia e a presença em compromissos oficiais. “Eu tive audiência no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-AM). Teve um dia que eu estava em Brasília, num evento sobre águas. Outro dia estava na Câmara Municipal de Salvador”, disse.

O vereador Hiram Nicolau teve 20 faltas dentro do período legislativo. As faltas do dias 7 e o 8 de março e também do dia 13 de dezembro não foram justificadas. As demais apresentam a justificativa de força maior.

“Minha atuação na CMM é muito clara, os momentos em que justifico ausência é quando tenho algum compromisso fora da CMM no momento do plenário, em nenhum dia fui na CMM, peguei presença e fui embora. Quando tenho algum compromisso (alguma reunião ou atendimento externo) prefiro faltar e justificar do que ir lá, dar presença e fugir do plenário”, afirmou o vereador.

Sobre as ausências não justificadas, Hiram afirma que trata-se de compromissos pessoais.  “Desde meu 1º ano de mandato, sempre que estou em alguma atividade pessoal e falto, mando para a presidência ofício comunicando e pedindo o desconto em meus vencimentos”, destacou.

Licença

 Os vereadores Diego Afonso (PDT), João Luiz (PRB) e Marcel Alexandre (PMDB) não exerceram o mandato completo em 2017. Isto porque assumiram secretarias do estado e do município e obtiveram licença do parlamento municipal. Por isso, não foram contabilizadas as suas presenças e ausências.

Diego Afonso assumiu a titularidade da Secretaria de Estado de Habitação (Suhab). João Luiz foi nomeado para a Secretaria Municipal da Juventude, Esporte e Lazer (Semjel), no mês de julho. Já o vereador Marcel Alexandre atuou como titular da Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU).

Os vereadores Junior Resgate (PDT), Amauri Colares (PRB) e Dallas Filho (MDB) assumiram as cadeiras no decorrer do ano e também não foram contabilizados no levantamento.

Trabalhos

Os trabalhos na Câmara Municipal de Manaus (CMM) serão retomados no dia 6 de fevereiro. Os vereadores estão de recesso desde o dia 20 de dezembro, quando foi aprovada a Lei Orçamentária Anual (LOA), destinando R$ 4,8 bilhões para a Prefeitura de Manaus neste ano.

Lista dos mais faltosos da CMM

Isaac Tayah (PSDC) com 35 faltas

David Reis (PV) com 22 faltas

Hiram Nicolau (PSD) com 20 faltas

Gilmar Nascimento (PSD) com 19 faltas

Joana D’Arc (PR) com 19 faltas

Wilker Barreto (PHS) com 18 faltas

Reizo Castelo Branco (PRB) com 18 faltas

Elissandro Bessa (PHS) com  18 faltas

Gedeão Amorim (PMDB) com 18 faltas

Felipe Souza (Pode) com 17 faltas

Presença em 100% das sessões

Os vereadores Rosinaldo Bual (PSB), Professor Samuel (PHS),  e Professor Fransuá (PV) possuem 100% de presença nas sessões ordinárias da Câmara Municipal de Manaus (CMM), segundo o site da casa legislativa. Eles compareceram às 125 sessões ordinárias realizadas em 2017. Os vereadores ganham o salário bruto no valor de R$ 15 mil, segundo o site da CMM.

O Professor Samuel destaca que está há cinco anos na CMM e diz que conseguiu repetir o feito em outros anos. Para ele, a  a presença dos parlamentares é um dever e compromisso com a população da capital que os elegeu.

“Ter a presença é ter a responsabilidade com aquilo que se assume. Sempre apresentei projetos de lei, realizamos audiências. Hoje (ontem), em pleno recesso, eu estou na rua, fiscalizando para levar as demandas para a Prefeitura de Manaus e suas secretarias. Eu entendo que a obrigação do vereador é legislar e fiscalizar aquilo que é feito pela prefeitura”, afirmou.

Na mesma linha, o Professor Fransuá considera que além da assiduidade é necessário ter uma produtividade significativa. “Eu fui um dos parlamentares que mais se pronunciou em plenário. Apresentei 17 projetos de lei, mais de 400 requerimentos, ofícios. Isso é muito importante para o trabalho de um primeiro ano”, ressaltou. “É uma obrigação e uma forma de respeitar a sociedade que paga nossos salários com os seus impostos. A sociedade quer uma postura diferente dos políticos”.

A reportagem tentou entrar em contato com o vereador Rosinaldo Bual, mas não obteve retorno até o fechamento da matéria.

O vereador Álvaro Campelo (PP) ficou apenas com uma falta, que foi justificada. Na mesma situação, estão os vereadores Plínio Valério (PSDB) e Wallace Oliveira (Pode). Eles compareceram em 124 sessões.

“É o dever do vereador estar presente em todas as sessões da CMM. Muitas vezes somos obrigados a sair do plenário e ter que atender uma demanda urgente. Fomos eleitos para defender os interesses da população. Nosso propósito é dar continuidade a este ritmo”, disse, destacando que iria verificar essa única falta.

Publicidade
Publicidade