Publicidade
Manaus
JULGAMENTO

Irmãos acusados de matar o próprio pai vão a julgamento 22 anos após o crime

Segundo denúncia, os filhos eram ociosos e brigavam com pai, que insistia que os mesmos arrumassem trabalho, no ano de 1995 25/10/2017 às 15:45 - Atualizado em 25/10/2017 às 16:23
Show 2fa81f03 0c39 463f be45 4a81c287b292
Foto: Gilson Mello
Joana Queiroz Manaus (AM)

Os irmãos Paulo Cesar Marques da Silva e Carlos César Marques da Silva foram para o banco de réus na manhã desta quarta-feira (25), em Manaus, em julgamento onde são acusados de matar o próprio pai, o comerciante Adarcino Marques da Silva. O crime aconteceu há 22 anos, no ano de 1995.

O julgamento foi presidido pelo juiz da 2ª Vara do Tribunal do Júri Anésio Pinheiro e na acusação estava o promotor de justiça Ednaldo Medeiros. A defesa dos réus foi feita pelo advogado Luís Eduardo Valois.

A principal alegação da defesa foi a tese de negativa de autoria. “Não há provas nos autos que comprovem a participação dos meus clientes nesse crime. O que há é só disse me disse”, declarou o advogado Luís Eduardo Valois.

De acordo com a denúncia, pai e filhos brigavam muito porque a vítima queria que eles trabalhassem e os mesmos eram ociosos. O pai insistia para que eles arrumassem trabalho dando, inclusive, prazo para que se empregassem, sob pena de terem de deixar a casa do pai.

Ainda segundo a denúncia, os mesmos tinham a intenção de ficar com os bens do pai. A vítima foi amarrada, amordaçada e esfaqueada dentro do quarto onde dormia, na casa dela, localizada na rua Alagoa, no Parque das Laranjeiras. Até a publicação desta matéria, o caso ainda estava sendo julgado.