Quarta-feira, 01 de Abril de 2020
POLÍTICA

Assembleia rejeita pedido de impeachment contra Wilson Lima

Wilker Barreto (Podemos) e Dermilson Chagas (PP) citavam como motivo para a abertura do processo os problemas no setor de saúde



wilwil_B0F1BC80-51D3-46EC-A372-C809092F440B.JPG Foto: Arquivo/A Crítica
05/02/2020 às 19:58

A Mesa Diretora da Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE-AM) rejeitou o pedido de impeachment do governado Wilson Lima (PSC) apresento pelos deputados Wilker Barreto (Podemos) e Dermilson Chagas (PP).  

A decisão, tomada na terça-feira (4), foi publicada na edição de hoje (5) do Diário Eletrônico da ALE-AM. O documento relata que o pedido de apuração de crime de responsabilidade foi derrubado pela atipicidade dos fatos narrados na denúncia, falta de fundamentação com relação aos elementos subjetivos da conduta (dolo), ausência de demonstração de nexo de causalidade, ausência de descrição precisa e clara dos fatos e não individualização das condutas dos denunciados. 



Fazem parte da Mesa Diretora, o presidente da ALE-AM, Josué Neto (PSD), a vice-presidente Alessandra Campêlo (MDB), a segunda vice-presidente Mayara Pinheiro (PP), o terceiro vice-presidente Roberto Cidade (PV), o secretário-geral Delegado Péricles (PSL), o primeiro secretário Cabo Maciel (PL), o segundo secretário Augusto Ferraz (DEM), o terceiro secretário Fausto Júnior (PV), o ouvidor Felipe Souza (Patriota) e o corregedor Abdala Fraxe (Podemos). 

No final de dezembro, Wilson Lima afirmou, durante entrevista com a imprensa, que o pedido de impeachment não tinha fundamento e nem amparo legal. De acordo com ele, a iniciativa foi motivada por razões que não estão relacionadas às melhorias no contexto político. 

“Eu pedi para analisar tecnicamente a peça e não há nenhum amparo legal. A prova de que, mais uma vez, existe uma outra motivação que não é a republicana. Eu entendo o papel da oposição, faz parte do processo democrático, mas vejo que os dois deputados estão tentando tumultuar a situação”, disse o  governador à época. 

Disse também que as relações políticas de Wilker Barreto (Podemos) e Dermilson Chagas (PP) em outros governos justificam as ações de oposição. “A gente sabe a ligação dos dois, quem era líder no ano passado, no governo anterior. Essa situação é muito clara para a situação”, disse Wilson Lima, no dia 20 de dezembro referindo-se ao fato do Dermilson ter sido líder do ex-governador Amazonino Mendes na ALE-AM. 

Pedido

Wilker Barreto e Dermilson Chagas deram entrada ao pedido de impedimento do governado Wilson Lima e do vice-governador Carlos Almeida na tarde do dia 17 de dezembro do ano passado pela suposta prática de crimes de responsabilidade e improbidade administrativa.

O documento foi encaminhado à presidência da ALE-AM. Os deputados citavam como motivo para a abertura do processo os problemas no setor de saúde.

News portal1 841523c7 f273 4620 9850 2a115840b1c3
Jornalismo com credibilidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.