Passaporte de vacina

Ufam vota na próxima segunda passaporte de vacina para comunidade acadêmica

Reunião no Consuni deve decidir exigência de vacinação contra a covid-19 para alunos, professores e servidores administrativos

Waldick Júnior
23/12/2021 às 22:59.
Atualizado em 08/03/2022 às 19:10

(Foto: Reprodução/Internet)

A Universidade Federal do Amazonas (Ufam) deve decidir na próxima segunda-feira (27) a exigência do comprovante de vacinação para membros da comunidade acadêmica. A votação ocorrerá entre os 60 membros do Conselho Universitário (Consuni), que irão avaliar a atualização do Plano de Biossegurança da instituição.  

A discussão sobre a obrigatoriedade do certificado de imunização estava prevista para o dia 13 de dezembro. Porém o conselho votou pelo adiamento, apesar de parte dos membros ter se manifestado contrário a uma nova data para a discussão. Eles temem a incerteza, já que as aulas presenciais na Ufam estão previstas para retornar em 10 de janeiro.

 

Um dos membros do Consuni, João Libardoni, diz que o clima entre os conselheiros é de possível aprovação da medida. Ele representa a direção da Faculdade de Educação Física e Fisioterapia (Feff) da universidade. Os professores são a maioria (70%) do conselho, 42 membros.

“Nunca se sabe, mas pela mobilização que temos visto o clima é favorável à aprovação. O que se discute agora é como operacionalizar essa cobrança. Por exemplo, o professor vai cobrar do aluno antes de ele entrar na sala de aula? Vai ser feita uma avaliação a partir do Imuniza [Manaus] entre os alunos matriculados? Ou vai ter um técnico administrativo responsável por cobrar da comunidade em geral?”, comenta ele.

A Universidade do Estado do Amazonas (UEA) saiu à frente da federal e aprovou nesta semana a exigência do comprovante de vacina para toda a comunidade acadêmica, inclusive funcionários terceirizados e estagiários. O documento é assinado pelo reitor Cleinaldo de Almeida Costa.

O conselheiro Libardoni acredita que a decisão da UEA e de outras universidades também gera pressão para que a Ufam aprove a mesma norma nos cinco campi da instituição.

“Pela discussão que acompanhamos no grupo [dos membros], acredito que a decisão da UEA influencie, sim. Porque no início existia certa insegurança do ponto de vista legal sobre a cobrança desse certificado de vacinação. Mas agora vimos que várias universidades do Brasil já estão adotando essa estratégia e isso acaba com certeza gerando uma pressão maior sobre a Ufam”, afirma o conselheiro.

Alunos

Entre os nove representantes discentes do Consuni, a decisão será tomada nesta quinta-feira (23). Segundo Del Belfort, um dos conselheiros, os alunos irão se reunir para fechar um voto entre si. A expectativa é que aprovem a exigência do comprovante de vacina. Assim, levarão um só posicionamento para a votação oficial que ocorrerá no próximo dia 27.

“Pelo nosso posicionamento desde o início dessa discussão, muito provavelmente vamos votar pela exigência desse certificado de vacinação”, afirma o representante estudantil.

Assuntos
Compartilhar
Sobre o Portal A Crítica
No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.
© Copyright 2022Portal A Crítica.Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por
Distribuído por