Publicidade
Entretenimento
Vida

Primeiro documentário sobre raios do Brasil chega aos cinemas de Manaus

Da colonização do Brasil às redes inteligentes de energia elétrica, "Fragmentos de Paixão" mostra como esse fenômeno pode influenciar a história 01/10/2013 às 18:46
Show 1
Cena do filme documentário "Fragmentos de Paixão”
ACRITICA.COM ---

Por ano, caem cerca de 50 milhões de raios e 500 pessoas são atingidas no Brasil – 130 delas vítimas fatais das descargas elétricas. O país é campeão mundial de incidência de raios. Será que esse fenômeno pode mudar a vida de alguém?

Primeiro filme sobre raios feito no Brasil, “Fragmentos de Paixão” busca responder a essa pergunta. Com estréia no dia 11 de outubro nos cinemas da rede Cinemark de todo o país, a obra foi rodada no Rio de Janeiro, São Paulo, Bahia e Rio Grande do Sul e apresenta a temática dos raios sob perspectiva histórica, cultural e científica, em um novo formato de divulgação audiovisual que aproxima a ciência de todas as pessoas. Veja trailer aqui.

São apresentadas seis vidas, seis histórias distintas, que mostram como uma fração de segundo define destinos de forma completamente diferente, permeando o medo e a paixão, a tragédia e o sucesso, a guerra e a paz. Nessa jornada, fatos inusitados são revelados, mostrando a visão da ciência e da cultura sobre os raios, desde o descobrimento do Brasil até o futuro do planeta. "Trazemos questões essenciais a todas as pessoas, visando ampliar e democratizar a informação sobre o assunto", explica a jornalista Iara Cardoso, diretora do filme.

As histórias são amarradas no filme que mescla técnicas de documentário e de ficção e é de interesse tanto da comunidade científica quanto de leigos que desejam aliar entretenimento a conhecimento. “Fragmentos de Paixão” se diferencia de outros documentários pela narrativa romanceada, presente no cinema de ficção, e pela construção dos personagens. Ao contrário de outros trabalhos, este filme documentário não apresenta somente entrevistas, típicas do telejornalismo. “Como todo bom filme, trazemos uma dúvida no início da trama que só é respondida no final”, diz a diretora Iara Cardoso.

O maior especialista em raios do Brasil, Osmar Pinto Jr., e a jornalista Iara Cardoso pesquisaram a fundo dados da história, da ciência e da literatura do Brasil. Para chegarem às vidas e às informações apresentadas no filme, foram analisadas mais de 200 diferentes fontes durante três anos – livros, documentos históricos, pesquisas científicas, fotos e descendentes de personalidades foram essenciais para a construção de um roteiro minucioso e repleto de curiosidades. A equipe levou dois meses para executar todas as tomadas, acumulando quase cem horas de filmagens.

Pesquisador e diretora andaram de caravelas no sul da Bahia e de helicóptero no Rio de Janeiro, visitaram uma aldeia indígena em Ubatuba e leram relatos históricos de Darwin em sua visita ao país, tudo para entender o impacto das descargas atmosféricas em histórias tão diferentes. “As seis vidas foram contrastadas com a vida do Dr. Osmar e a realidade que cerca um pesquisador que é apaixonado por um fenômeno”, explica Iara Cardoso.  Com isso, o cientista deixa a posição inatingível que normalmente ocupa nos documentários para se tornar próximo do espectador.

“Fragmento de Paixão” é realizado pelo Grupo de Eletricidade Atmosférica (ELAT), do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), e faz parte de um projeto de divulgação sobre os riscos que os raios trazem à população, que inclui uma cartilha educativa e exposições em São Paulo e no Rio de Janeiro.


Publicidade
Publicidade