Publicidade
Manaus Hoje
HOMICÍDIOS

Sexteto é preso por série de assassinatos cometidos na Cidade de Deus, em Manaus

Ao todo, cinco pessoas foram mortas desde agosto de 2017 por conta do tráfico de drogas. As prisões ocorreram ao longo dessa semana 25/05/2018 às 16:52
Show abe68910 8744 4b99 a0aa 64140170b11d
Foto: Jander Robson
Larissa Golvin Manaus (AM)

Seis homens foram presos pela Polícia Civil do Amazonas em cumprimento de mandado de prisão e suspeitos de cometerem uma série de assassinatos no bairro Cidade de Deus e adjacências, na Zona Norte de Manaus, desde agosto de 2017, por conta de tráfico de drogas.

Os presos são Anderson dos Santos Costa, 26, o “Loirinho”; Jonathan de Oliveira Procópio, 21, o “Mascote”; Adenildo Silva Araújo, 31, o “Deninho”; Francisco Batista Façanha, 42; Alderlan Patrício da Silva, 25, o “Metal”; e David Feitosa da Silva, o “Faceta”. Outras três pessoas, Ângelo Vasconcelos de Melo, 22, o “Panti”; Lucas Cruz Carioca, 19, o “Gordinho”; e Patrick Caldas Cruz, 22; tiveram os mandados de prisão cumpridos na prisão.

Segundo a Polícia Civil, o grupo é suspeito da autoria das mortes de cinco pessoas. As vítimas são: Francisco Soares de Souza, 44, o “Preto”, morto no dia 5 de agosto do ano passado; Douglas Santos da Silva, 25, o “Bob”, morto no dia 26 de agosto de 2017; Pablo Alves da Silva, 26, assassinado no dia 2 de janeiro deste ano; José Wilson Soares de Souza, 29, morto em 16 de fevereiro de 2018; e Italo Cardoso da Silva, 22, morto no dia 2 de fevereiro.

As prisões do bando ocorreram a uma ação deflagrada ao longo dessa semana, quando foram cumpridos os mandados de prisão e dois de busca e apreensão, em distintos pontos do bairro Cidade de Deus, pela equipe da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS). Os mandados de Ângelo, Patrick e Lucas, foram cumpridos no Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM), onde já cumprem pena.

De acordo com a Polícia Civil, Ângelo, Anderson, Jonathan, Lucas e Patrick faziam parte de uma organização criminosa que era comandada por Francisco Adelandio Marques Carioca, o “Neném”, sobrinho do narcotraficante João Pinto Carioca, o “João Branco”, líder da facção criminosa Família do Norte (FDN). Francisco Adelandio foi morto no dia 16 de fevereiro deste ano.

De acordo com a Polícia Civil, “Preto” foi morto, porque, cometia furtos, roubos e extorsão no bairro Cidade de Deus, fazendo com que chamasse a atenção da Polícia naquela localidade, afetando a venda de drogas. A vítima teria saído expulsa do conjunto, mas quando retornou, foi executada a tiros por Ângelo com o apoio de Anderson. A segunda vítima foi o Bob, que era amigo do “Preto” e foi morto pelo mesmo motivo.

Já o Pablo foi morto após ser agredido fisicamente por Jhonathan porque estaria vendendo drogas para o traficante “Neném”. Testemunhas viram quando o Jhonatan teria jogado o copo da vítima no local onde o mesmo foi encontrado. José Wilson também foi morto por Jhonathan e contou com a ajuda de Lucas e Patrick. O grupo acreditava que Pablo estaria envolvido na morte do “Neném”. O trio invadiu a casa da vítima e efetuou vários disparos utilizando pistola e espingarda calibre 12.

Adenildo, Francisco, Alderlan e David estão envolvidos no homicídio de Ítalo Cardoso da Silva. A vítima foi agredida fisicamente em via pública e atingida por dois disparos de arma de fogo. O mandante do crime seria um homem identificado como Wilsomar Rodrigues Matos, “Mazinho”, que está sendo procurado pela polícia. Italo morreu porque teria roubado uma quantidade de drogas da boca de fumo do mandante do crime. Os suspeitos receberam a quantia de R$ 1 mil de “Deninho” para executar Italo.

Segundo o delegado Jeff Mac Donald, titular da especializada, o bando será encaminhado ao Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM), onde ficará à disposição da Justiça.

Publicidade
Publicidade