Sábado, 25 de Maio de 2019
QUADRILHA

SSP prende quadrilha em Manaus com armamento usado para abater aviões

Ao todo, 13 pessoas foram presas. Segundo a polícia, eles são especialistas em transportar drogas de Tabatinga para a capital e outros estados



6b4d6775-816a-4dbe-bf5e-90e9ab2383f6.jpg
Foto: Divulgação
05/04/2018 às 12:30

A Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM), por meio da Secretaria Executiva-Adjunta de Inteligência (SEAI), Polícia Civil, Polícia Militar e Secretaria Executiva-Adjunta de Operações (Seaop), apresentou na manhã desta quinta-feira (5) O resultado de uma operação que desarticulou uma quadrilha especializada no transporte de drogas de Tabatinga, a 1.108 quilômetros de Manaus, para a capital e outros Estados do Brasil.

Ao todo, 13 pessoas foram presas em diversas zonas de Manaus e um armamento de guerra utilizado para abater aviões foi apreendido. O resultado da operação foi apresentado na Delegacia Geral da Polícia Civil, localizada na avenida Pedro Teixeira, 180, Dom Pedro, Zona Oeste. A ação faz parte da operação “Banzeiro”, que tem o objetivo de impedir a continuidade da atuação dessa organização criminosa nos rios amazônicos.

Durante a ação policial foram apreendidos dois revolveres calibre 38, uma pistola 380 com numeração raspada, um rifle calibre 44, diversas munições, além de uma metralhadora ponto 30, um armamento de guerra utilizado para abater aeronaves e de uso restrito das forças armada. Além do armamento, foi apreendido um veículo punto, uma pick-up S10, uma montana, uma lancha com motor 200HP, além de outros veículos, embarcações e uma motocicleta e a quantia de R$ 25 mil.

A operação, realizada ao longo de todo a quarta-feira (4), cumpriu 16 mandados de busca e apreensão, cinco sequestros de bens imóveis, além de 14 bloqueios judiciais de contas bancárias utilizadas pela organização criminosa. Pelas investigações, a organização criminosa utilizava diversos mecanismos para dissimular o transporte de entorpecentes, inclusive com a utilização de barcos pesqueiros e de balsas que traziam botijas de gás para capital amazonense. Foi ainda levantado, ao longo da investigação, que tal organização, com o objetivo de dar aspecto de legalidade ao dinheiro oriundo do transporte dos entorpecentes, lavava o dinheiro em diversos estabelecimentos comerciais, como distribuidora de bebidas, restaurante e salões de beleza.

A Secretaria Executiva Adjunta de Inteligência (Seai) coordenou a operação com o apoio Secretaria Executiva Adjunta de Operações (Seaop), da Polícia Civil, por meio do Departamento de Investigação Sobre Narcóticos (Dnarc), Departamento de Repressão ao Crime organizado (DRCO), Grupo Especial de Força, Resgate e Assalto (Fera), Delegacia Fluvial (Deflu) e do Departamento de Polícia do Interior (DPOI), além de servidores da Polícia Militar.

No curso da ação policial foram empregados aproximadamente cem policiais, entre delegados, investigadores, escrivães e militares, além da utilização de cães farejadores e detectores de metal, com o objetivo de localizar drogas, armas e munições.

Banzeiro

O termo “banzeiro”, bastante conhecido em nossa região, faz referência a uma sucessão de ondas provocadas por grandes embarcações em deslocamento, o que dificulta a navegabilidade de embarcações de menor porte. A Operação “Banzeiro” buscou impedir a continuidade da atuação dessa organização criminosa nos rios amazônicos.

*Com informações da assessoria de imprensa


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.