Terça-feira, 25 de Junho de 2019
DRAMA

Família cria vaquinha para transferir jovem amazonense internado no Paraguai

Estudante de 19 anos foi para o país vizinho cursar medicina, contraiu uma doença rara chamada Síndrome de Guillain-Barré e está entubado em um hospital público



amazonense-doente_44D8D8AA-7C06-4833-BBBC-01A5F6FE1769.JPG Foto: Acervo Pessoal
01/04/2019 às 21:41

Familiares e amigos do jovem amazonense Imecson Pantoja, 19, estão fazendo uma "vaquinha" online para arrecadar fundos e conseguir transferir o rapaz do Paraguai, em uma UTI móvel, para o Brasil. Ele, que mudou para o país esse ano, para cursar medicina, contraiu uma doença rara chamada Síndrome de Guillain-Barré e hoje está entubado em um hospital público na cidade de San Lorenzo.

A família precisa arrecadar R$ 14 mil para poder fazer a transferência do paciente até Foz do Iguaçu, no Paraná, e depois trazer ele para Manaus. A Síndrome de Guillain-Barré é uma doença autoimune inflamatória dos nervos e de suas porções próximas a suas origens junto a medula espinhal. Ela é caracterizada por quadro de fraqueza progressiva, podendo levar a insuficiência respiratória e batimentos cardíacos irregulares.

A irmã de Imecson, Tamirys Pantoja, conta que o sonho do irmão era fazer medicina, mas como aqui no Brasil é muito caro ele, que é do município de Codajás, resolveu ir ao país vizinho em busca do sonho.


Jovem deixou o interior do Amazonas para realizar o sonho de estudar medicina. Foto: Acervo Pessoal

“Aconteceu essa fatalidade e ele teve que ser entubado e entrar em coma induzido imediatamente. Ele estava aqui ha menos de um mês, e em dois dias eu tive que vir para cá, desesperada, porque os amigos me ligaram dizendo que ele estava mal. Mesmo sem saber falar o idioma eu vim fiquei aqui e depois de cinco dias o meu pai veio ajudar. A dificuldade é grande e queremos levar ele de volta para ficar mais perto da família, e termos condições de dar um tratamento mais adequado”, conta a irmão que está no Paraguai.

“Aqui não sabemos falar o idioma, temos que nos locomover até o hospital todos os dias com poucos recursos, comprar remédios . Às vezes, a gente nem se preocupa com o que comer, para economizar ”, afirma.

A jovem fala que o irmão já teve autorização médica para voltar ao Brasil e continuar o tratamento, porém o transporte do rapaz, é caro e eles não têm condições de pagar. Desesperados resolveram com o apoio de amigos e familiares fazer uma vaquinha para conseguir o valor necessário.

“Ele precisa ir nessa UTI, pois respira por aparelhos e não tem condições de viajar de outra forma. Os médicos já permitiram, mas a gente não tem esse recurso e imploramos ajuda para conseguir fazer isso. A viagem é longa, até Manaus, mas ele não pode fazer ela de uma vez, no mesmo dia, devido o estado debilitado. Por isso ele vai primeiro para Foz do Iguaçu”, relatou a jovem.

Quem quiser colaborar pode entrar neste link e fazer os procedimentos necessários para a doação descritos no endereço virtual. Até essa segunda- feira (1º), a família tinha arrecadado apenas R$ 150 desde o dia em que a vaquinha foi criada, no último final de semana.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.