Quinta-feira, 28 de Maio de 2020
Meio Ambiente

Sema inicia mapeamento para identificar impactos ambientais no Monte Horebe

Grupo realizou sobrevoo de drone para levantar área total afetada pela ocupação irregular nesta quarta-feira (11)



WhatsApp_Image_2020-03-11_at_18.34.19_FAC743AF-2A5E-4AFD-931A-24095C1AC54A.jpeg Fotos: Lucy Rocha/Sema
11/03/2020 às 19:07

A área do Monte Horebe, na Zona Norte de Manaus, recebeu, nesta quarta-feira (11), a visita técnica da Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema) para um levantamento dos impactos ambientais na região.

A equipe do órgão realizou um sobrevoo, com uso de drone, para identificar a área total afetada e avaliar a quantidade de resíduos sólidos deixados no local após a desocupação.



Posterior ao levantamento das áreas que sofreram modificação de solo, vegetação e relevo pela ação do homem, a equipe da Sema realizará o processamento das imagens de drone para gerar mapas de alta resolução que, por sua vez, vão auxiliar nas ações de recuperação ambiental do espaço.

Segundo o último mapeamento geoespacial executado pela Secretaria, em setembro de 2019, a área total do Monte Horebe ocupava cerca de 140 hectares, o equivalente a 200 campos de futebol.

“Após os mapas serem gerados, conseguiremos mensurar o tamanho do dano ocasionado com a ocupação irregular e identificar a topografia da área”, explicou o engenheiro ambiental e assessor de Recursos Hídricos da Sema, Maycon Castro.

O objetivo, segundo o engenheiro , é identificar as zonas de drenagem, onde podem ter ocorrido assoreamento do leito de igarapés e nascentes.

Relatório de impacto ambiental

As informações do levantamento serão utilizadas, também, para elaboração do relatório de impacto ambiental da Sema.

O relatório deve conter dados do plano de recuperação ambiental das áreas afetadas e um cronograma de atividades para recuperação das funções ecológicas do ambiente, caso seja necessária.

Ainda nesta quarta-feira (11), a equipe da Sema também realizou o levantamento da quantidade de resíduos sólidos gerados após a derrubada dos barracos e a análise da fauna local.

“Identificamos um grande impacto causado no solo, com a construção de barragens para mudar o fluxo das águas e impedir a passagem da chuva. Esses materiais estão acumulados, gerando uma grande quantidade de resíduos”, destacou o engenheiro ambiental da Sema, Stephan do Nascimento.

Além da Sema, equipes da Polícia Civil do Amazonas, por meio da Delegacia Especializada em Crimes contra o Meio Ambiente (Dema), e do Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam) também participaram da análise.

Planejamento das ações

As ações de recuperação ambiental da área estão inseridas no planejamento de ocupação em andamento pelo Governo do Estado do Amazonas.

Conforme o último levantamento da Sema, a área onde está localizada a ocupação Monte Horebe fica a cerca de 260 metros em linha reta da Área de Proteção Ambiental (APA) Adolpho Ducke.

Na semana passada, a equipe da Sema também visitou um curso d’água, conhecido como Igarapé do Geladinho, para análise preliminar da qualidade da água.

Uma análise técnica será feita, posteriormente, para a avaliação de cada trecho do corpo hídrico.

News portal1 841523c7 f273 4620 9850 2a115840b1c3
Jornalismo com credibilidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.