Publicidade
Manaus
VERSÕES

Em depoimento, delegado alega que matou advogado no Porão em legítima defesa

Gustavo Sotero diz que efetuou disparos porque levou um soco, mas versão contrasta com relato de testemunha à polícia 25/11/2017 às 09:48 - Atualizado em 25/11/2017 às 09:58
Show img 1359
Caso foi registrado no 19o Distrito Integrado de Polícia
Dante Graça e Kelly Melo Manaus

O delegado Gustavo Sotero, preso em flagrante pelo assassinato do advogado Wilson Justo Filho, no Porão do Alemão, na madrugada deste sábado, alegou em depoimento que agiu em legítima defesa. 

A versão, a qual a reportagem de A Crítica teve acesso, consta no auto de prisão registrado no 19o Distrito Integrado de Polícia. O relato de Sotero diverge do depoimento da testemunha Alexandre Mascarenhas Pinto, que também consta no documento. Segundo ele, a confusão iniciou quando Gustavo atirou deliberadamente na perna da esposa de Wilson, Fabíola Oliveira. 

Em seu depoimento, Sotero afirma que foi surpreendido com um soco e que chegou a pedir para o advogado parasse a agressão. O delegado também alegou que não conhecia a  Wilson Justo, e que não teve noção de que atirou em outras pessoas. Ele afirmou não saber precisar quantos tiros efetuou, “mas que foram somente os disparos necessários para pôr fim à agressão sofrida”.

LEIA MAIS: Delegado que matou advogado no Porão do Alemão já tinha passagem pela polícia

O crime ocorreu por volta das 3h. No total, quatro pessoas foram baleadas. Wilson Justo Filho foi a vitima fatal. 

 

 

Testemunha aponta outra versão 

Depoimento de Alexandre Mascarenhas, que consta no auto de prisão, aponta para outra versão. Segundo ele, Wilson estava abraçado à esposa, quando Gustavo disparou um tiro na perna da vítima. Segundo a testemunha, neste momento Wilson partiu para cima de Gustavo. Ele seguiu atirando e acertou a barriga de

Wilson, segundo o depoimento. O advogado correu e tentou se esconder em um canto para não ser baleado, mas a testemunha afirma que Gustavo foi atrás de Wilson e atirou mais duas vezes. Segundo os relatos que constam no documento, Wilson estava com bastante sangue na orelha e no abdômen.

A testemunha afirmou, ainda, desconhecer o motivo da confusão, pois estava concentrado no show que acontecia na hora. Segundo ele, tudo ocorreu de maneira muito rápida. 

Definição 

O delegado Gustavo Sotero deve passar por uma audiência de custódia neste sábado, às 14h, no Fórum Henoch Reis. A audiência de custódia define se ele segue preso ou se responderá em liberdade.

O presidente da OAB-AM, Marco Aurélio Choy, convocou toda a classe dos advogados do Amazonas para ir ao local pressionar e cobrar a prisão do delegado. 

Muitos delegados estavam presentes no 19o DIP (foto acima), onde o caso foi registrado, ao longo da manhã de hoje, mas não quiserem conversar com a imprensa.

O velório de Wilson Justo Filho será realizado na sede da OAB-AM. 

Publicidade
Publicidade