Publicidade
Manaus
DECISÃO

TRF1 decide libertar Pedro Elias com pagamento de fiança de cem salários mínimos

A justiça concedeu o habeas corpus parcial para o ex-secretário, que só poderá deixar a prisão após o pagamento da fiança. A defesa busca diminuir o valor 25/04/2018 às 11:37 - Atualizado em 25/04/2018 às 14:34
Show pedro elias
(Foto: Arquivo AC)
Amanda Guimarães Manaus (AM)

A 3ª turma do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF 1), em Brasília, concedeu ao ex-secretário de saúde do Amazonas, Pedro Elias, um habeas corpus (HC) parcial. A informação foi confirmada na manhã desta quarta-feira (25) pelo advogado de Elias, Carlos Evaldo Terrinha.

Como o habeas corpus foi concedido de forma parcial, o ex-secretário só poderá deixar a prisão caso aconteça o pagamento da fiança de 100 salários mínimos, equivalente a R$ 95,4 mil. "A justiça concedeu o habeas corpus para todo mundo. Agora estou tentando fazer com que esse valor de 100 salários minínimos seja diminuido para o Elias. Estamos trabalhando para isso", comentou o advogado.

Nessa terça-feira (24), conforme noticiado pelo Portal A Crítica, o tribunal já tinha concedido habeas corpus (HC) parciais para os ex-secretários de Administração (Sead) e de Estado da Fazenda (Sefaz), respectivamente Evandro Melo e Afonso Lobo.

Com a decisão, assinada pelo desembargador federal Ney Bello, o irmão do ex-governador José Melo, pode deixar a prisão mediante o pagamento de fiança no valor de 200 salários mínimos, o que equivale a R$ 190,8 mil, e deverá usar tornozeleira eletrônica para monitoramento. Para Afonso Lobo, a fiança estabelecida foi a mesma de Pedro Elias. 

Prisão

O ex-secretário foi preso no dia 14 de dezembro durante a operação “Custo Político” da Polícia Federal, um desdobramento da operação Maus Caminhos, deflagrada em setembro de 2016, que desarticulou um esquema de desvio de R$ 110 milhões da Saúde do Amazonas. Ele chegou a cumprir regime domiciliar, mas foi preso novamente no dia 31 de dezembro, por ordem da juíza federal Ana Paula Serizawa.

Publicidade
Publicidade