Publicidade
Manaus
DEMOCRACIA

Com ônibus gratuitos e filas nas seções, eleições começam no Amazonas

No total, são 2,4 milhões de eleitores aptos a participar do processo eleitoral no Estado. Votação segue até 18h por conta do fuso em 13 municípios 07/10/2018 às 08:16 - Atualizado em 07/10/2018 às 08:52
Show whatsapp image 2018 10 07 at 08.35.46 bb1b4ad8 d3c7 4c67 a00b d4e2cc826aff
(Foto: Euzivaldo Queiroz)
Geizyrara Brandão e Cecília Siqueira Manaus

Com mais de 2,4 milhões de eleitores aptos a votar, as eleições no Amazonas iniciaram às 8h, com grandes filas em frente aos locais de votação.

Morando no Jorge Teixeira, na Zona Leste de Manaus, a estudante de enfermagem Eduarda Viana saiu de casa às 5h30 para ser uma das primeiras a votar na Escola Estadual Santana, na Zona Centro-Sul. "Vim votar por um País melhor, para mudar e melhorar a vida do povo brasileiro", disse.

Viana afirmou que durante a biometria morava próximo da escola, mas pela burocracia de mudança na seção decidiu permanecer. "É difícil para mudar, tem todo um processo burocrático por isso continuei aqui", destacou a estudante.

A auxiliar de produção Valnira Silva relatou que chegou às 7h na fila para aguardar a abertura dos portões. "Tive que vir cedo porque depois daqui ainda tenho que ir trabalhar. O quanto antes votar, melhor", afirmou.

O primeiro eleitor da seção 595 na Escola Estadual Bernadino Lindoso, popularmente como 'Quarentão', no bairro Novo Aleixo, Zona Norte da capital, foi Carlos Alexandre Firmino, 34.

O eleitor disse que sempre faz questão de votar cedo para ficar livre o restante do domingo. "Eu gosto de vir esse horário porque  fico livre pra fazer outras coisas, como proveitar o dia e adiantar alguns trabalhos. Mas essa é a tarefa mais importante de hoje", disse bastante apressado.

Acompanhado dos dois filhos pequenos, o eletricista Willtervan Francisco Silva de Andrade, 29, tambem chegou cedo à seção de número 552, no mesmo colégio.

Apesar de morar no Santa Etelvina, bairro um pouco mais longínquo do seu local se votação, ele veio de ônibus com um filho de 10 meses e outro de 8 anos.

"É importante mostrar, desde cedo, a importância de escolher um representante para o nosso país. A mãe deles está como fiscal em outro bairro. Então por isso tambem fiquei com essa responsabilidade", explica ele.

Ônibus gratuito

A senhora Rita Taveira, de 64 anos, aproveitou a gratuidade dos ônibus para ir à igreja e deixou o voto para mais tarde.

"Estou desde 7h25 esperando o ônibus e até agora não passou nenhum. Está demorando muito o que eu preciso pegar", contou.

Publicidade
Publicidade