Inovação

Cetam qualificará profissionais para a indústria do Amazonas

Até 2025, a instituição terá condições de formar mais do que as 114 mil pessoas necessárias para atender as demandas da indústria

acritica.com
online@acritica.com
30/06/2022 às 15:32.
Atualizado em 30/06/2022 às 15:32

(Foto: Reprodução)

A necessidade de mão de obra qualificada no Polo Industrial de Manaus (PIM) pode ser suprida pelo Governo do Estado, por meio dos cursos ofertados, gratuitamente, pelo Centro de Educação Tecnológica do Amazonas (Cetam). Quem garante é o diretor-presidente da instituição, o Prof. Dr. José Augusto de Melo Neto. “É para mudarmos essa realidade que estamos investindo em pesquisas, infraestrutura e laboratórios técnicos”, adianta.

Recentemente, o Observatório Nacional da Indústria traçou o Mapa do Trabalho Industrial, vislumbrando como estará o cenário no Amazonas no período de 2022 a 2025. No levantamento de dados foi constatado que haverá um déficit de 114 mil profissionais dessa área. Para a Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (Fieam), o cenário precisará mudar dentro dos próximos três anos.

De acordo com o presidente da Fieam, Antonio Silva, faz-se necessário que o País invista em aperfeiçoamento e requalificação, atualizando os profissionais. Isso porque, segundo ele, o mercado de trabalho passa por uma grande transformação, resultado do uso de novas tecnologias e mudanças na cadeia produtiva. “O Cetam exerce papel essencial na disseminação da educação profissional no Amazonas, com atuação centrada na capacitação de pessoas para a expansão das oportunidades de empregabilidade e de geração de renda”, frisou Antonio Silva.

Conforme o presidente da Fieam, um dos aspectos positivos do Cetam é a sua capilaridade de atuação. “Ele está presente em Manaus e em todos os 61 municípios amazonenses, o que contribui para a redução das desigualdades de acesso à capacitação profissional e de melhoria na qualidade de vida das pessoas”, destacou.

O professor José Augusto afirma que o Cetam tem condições de superar a marca de 114 mil pessoas qualificadas até 2025, conforme necessidade destacada pela Fieam com base nos dados apresentados pelo Observatório Nacional da Indústria. Segundo ele, na gestão do governador Wilson Lima, no período de 2019 até o momento, o Cetam ultrapassou a marca de meio milhão de cursos ofertados na capital e interior do estado. “Vamos trabalhar neste sentido. Nossa equipe técnica fará o levantamento dos profissionais que o PIM necessita para que possamos ofertar cursos específicos que atendam a demanda.”

O Instituto Benjamin Constant (IBC) é uma das unidades próprias do Cetam, na capital, onde são ofertados cursos técnicos e de qualificação profissional voltados à indústria. As opções são inúmeras: Automação industrial; Planejamento – controle de produção; Geoprocessamento; NR 10 – Segurança em instalações e serviços com eletricidade; NR 12 – Segurança no trabalho em máquinas e equipamentos; Logística; Mecatrônica; Refrigeração e climatização; Instalação e manutenção de redes de computadores; Matemática financeira, dentre outros.  

Parcerias

Os cursos do Cetam na área industrial também ocorrem por meio de parcerias firmadas com empresas que recorrem à instituição em busca de cursos para atender demandas diversas. A Fundação de Apoio Institucional Muraki é uma delas. “No momento, estamos preparando o portfólio de um projeto de consultoria junto ao Cetam, com pelo menos 40 novos cursos voltados à Indústria 4.0. Esse projeto será avaliado pela direção do Cetam. Depois de aprovados os cursos, iremos oferecê-los ao mercado junto ao PIM. Sabemos que são cursos de muita relevância e altamente demandados pelo Distrito”, informou o diretor da Muraki, Fernando dos Santos Moreira Júnior.

Assuntos
Compartilhar
Sobre o Portal A Crítica
No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.
Portal A Crítica© Copyright 2022Todos direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por