ENSINO MÉDIO

Novo currículo será feito a ‘muitas mãos’ no Amazonas

Consulta pública aberta até dia 15 de outubro pretende aprimorar currículo específico para o Estado

Karol Rocha
19/09/2020 às 14:25.
Atualizado em 09/03/2022 às 19:15

(Ensino Médio tem nova base comum, agora terá conteúdo regional revisto. Foto: Michell Mello/Secom e Euzivaldo Queiroz)

Norteado pela Base Nacional Comum Curricular (BNCC), o novo Ensino Médio permitirá que os alunos dêem mais atenção a conteúdos regionais antes pouco explorados nas salas de aula como a História e a Geografia do Amazonas.

A fim de alinhar a mudança, professores, gestores, técnicos, estudantes de licenciatura e sociedade civil tem a oportunidade de participar de uma Consulta Pública da Versão Preliminar do Currículo Amazonense – Etapa Ensino Médio para conhecer o documento e enviar as suas contribuições até o dia 15 de outubro.

Para especialistas em educação, é a partir da mudança, que ocorrerá no ano que vem em escolas públicas e particulares, que os alunos estudarão conteúdos mais voltados à região Norte e suas especificidades, o que impactará sobre a realização de vestibulares, por exemplo.

“Hoje, existem processos seriados que acontecem desde o primeiro até a terceira série do ensino médio é a Geografia e História do Amazonas que é cobrada efetivamente. Nós não podemos nos furtar enquanto escola de abordar nesse componente curricular esse tipo de aprofundamento por que ela tem uma utilidade nos processos seletivos até o presente momento”, explicou diretora de Supervisão das Escolas Idaam, Luciana Barbosa.

“Nós estamos aguardando após a consulta pública para que nós possamos redefinir o currículo para o ano que vem. Ele será implantado de maneira gradativa a começar do primeiro ano do Ensino Médio de 2021”, destacou ainda.

Além da formação básica, o novo ensino médio é composto pelos itinerários formativos os quais permitem que os estudantes escolham, conforme seu interesse, aprofundar e ampliar aprendizagens em uma ou mais Áreas de Conhecimento ou e/ou na Formação Técnica e Profissional. Nesse conjunto de atividades educacionais, o aluno também terá como foco as práticas vivenciadas na região.

“As disciplinas de História e Geografia do Amazonas ganharão corpo e aumentarão a carga horária que até então, era limitada. Nós teremos uma Biologia explorando cada vez mais o nosso contexto, por exemplo. E quando falamos da carga horária complementar, em que o aluno poderá optar suas atividades, a gente pode trazer uma carga horária com cursos técnicos e a questão do empreendedorismo que vai atender o que esse aluno anseia”, explicou a orientadora educacional Ludmylla Rodon.

Consulta Pública

Professores, gestores, técnicos, estudantes de licenciatura e sociedade civil podem participar da Consulta Pública da Versão Preliminar do Currículo Amazonense – Etapa Ensino Médio, através do site https://pt.surveymonkey.com/r/consultapublica-seduc e clicar no banner Consulta Pública Currículo Amazonense Ensino Médio. O prazo para consulta vai até o dia 15 de outubro.

Na prática, o documento tem por objetivo possibilitar a contribuição da sociedade civil e comunidade escolar na construção coletiva do Currículo Amazonense – Ensino Médio, permitindo que este atenda às expectativas e às necessidades da região Norte, considerando as especificidades que permeiam a população amazônida.

A Consulta Pública garante uma maior participação da comunidade escolar no processo. Ao finalizar o prazo, a equipe da pasta irá consolidar o material e encaminhá-lo ao Conselho Estadual de Educação (CEE), que será o responsável pela provação.

Equipe de redatores elaborou versão preliminar

A Versão Preliminar do Currículo Amazonense para o Ensino Médio foi elaborada por uma equipe de redatores nas áreas de Conhecimento: Linguagens, Matemática, Ciências Humanas e Sociais Aplicadas e Ciências da Natureza, que teve a preocupação de trazer um texto introdutório com todas as partes que compõem o documento, contemplando pontos importantes para a leitura, reflexão e contribuição da sociedade civil.

Além disso, incluiu os organizadores curriculares, apresentando as unidades temáticas, os objetos de conhecimento, as competências e as habilidades que perpassam as Áreas de Conhecimento e/ou os componentes curriculares.

Pontos

# A Base Nacional Comum Curricular (BNCC) para o Ensino Médio deverá ser adotado por todas as escolas do País até 2022.

# A BNCC foi construída a partir de mais de 44 mil contribuições. O documento foi homologado em 4 de dezembro de 2018.

# A Base Nacional define o mínimo que deverá ser aprendido pelos estudantes de todo o país no ensino infantil, fundamental e médio.

# Até então, não existia um “currículo nacional”. Cada estado/cidade definia os conteúdos por conta própria.

# O texto nacional determina que 40% do Ensino Médio seja estruturado em quatro eixos: empreendedorismo, investigação científica, processos criativos e mediação/intervenção sociocultural.

# Na etapa estadual, em curso atualmente, serão definidos os conteúdos específicos de cada Estado do País para os outros 60% do tempo de aula do Ensino Médio.

Assuntos
Compartilhar
Sobre o Portal A Crítica
No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.
Portal A Crítica - Empresa de Jornais Calderaro LTDA.© Copyright 2022Todos direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por