Publicidade
Manaus
RELEMBRE

Confira cronologia dos fatos desde o início da crise do sistema penitenciário do Amazonas

Erro no número de foragidos, morte de 64 presos, reativação da Vidal Pessoa, boatos de arrastão e atuação da Força Nacional estão na lista 13/01/2017 às 11:21 - Atualizado em 18/01/2017 às 18:49
Show cadeia
(Foto: A Crítica)
Vinicius Leal Manaus (AM)

A crise no sistema penitenciário do Amazonas iniciou no dia 1º de janeiro de 2017 com a chacina detentos nos presídios de Manaus e a fuga de 225 internos. Desde então, vários fatos ocorreram como a reativação da antiga Cadeia Pública Raimundo Vidal Pessoa, boatos de arrastão nas ruas da capital e a atuação da Força Nacional nos presídios da cidade.

O Portal A Crítica reuniu uma cronologia dos fatos da crise no sistema penitenciário, que inclui também a repercussão internacional do massacre, a transferência de presos de Manaus para unidades prisionais federais, a exoneração do secretário de Administração Penitenciária e de um diretor de presídio e o plano da facção FDN (Família do Norte) de atacar com bombas autoridades do Estado.

1º de janeiro

> Fuga de 225 detentos* de dois presídios de Manaus, o Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj) e Instituto Penal Antônio Trindade. *Número divulgado originalmente foi de 184 fugitivos, mas foi atualizado no dia 12 de janeiro;
> Chacina de 56 detentos no Compaj, a maioria por decapitação, esquartejamento e carbonização;


Tensão após fuga e chacina no Compaj (Foto: Jander Robson)

2 de janeiro

> Mais quatro detentos são assassinados em presídio de Manaus, desta vez na Unidade Prisional do Puraquequara (UPP);
> Massacre é apontado como de autoria de membros da facção criminosa Família do Norte (FDN) e as vítimas da facção rival Primeiro Comando da Capital (PCC);
> Familiares de detentos mortos em massacre lotam Instituto Médico Legal (IML) de Manaus a procura de informações;
> Vaza na internet vídeos de festa dentro do Compaj durante o Réveillon;

Familiares de detentos no IML (Foto: Antônio Lima)

> Chacina de presos repercute na imprensa nacional e internacional;
> Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) registra princípio de motim no Ipat e no Centro de Detenção Provisória de Manaus (CDPM);
> Antiga Cadeia Pública Raimundo Vidal Pessoa é reativada e recebe a transferência de 130 internos ameaçados de morte vindos de outros presídios de Manaus
> Chegada em Manaus do ministro da Justiça, Alexandre de Moraes;
> Anúncio das primeiras medidas para reforçar segurança e conter crise penitenciária no Amazonas, incluindo uso da Polícia Militar nos presídios, instalação de equipamentos, liberação de verbas federais e projetos de construção de penitenciárias em Parintins e Manacapuru;

Governador José Melo e o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes (Foto: Márcio Silva)

3 de janeiro

> IML começa a identificar primeiros corpos das vítimas de chacina e liberá-los para os familiares;
> Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM) divulga primeira lista de 54 foragidos que foram recapturados;
> SSP-AM utiliza caminhão frigorífico de merenda escolar para armazenar mortos em massacre;
> Ministro Alexandre de Moraes visita presídios acompanhado do governador José Melo e secretário de Estado Segurança Pública Sérgio Fontes;
> Mais 93 detentos ameaçados de morte são transferidos para a antiga Cadeia Pública Raimundo Vidal Pessoa;
> Governo do Amazonas anuncia indenização para familiares de detentos mortos em massacre;
> ONU cobra do governo brasileiro investigação “imparcial e imediata” da chacina nos presídios de Manaus;
> Anistia Internacional critica governo brasileiro pelo massacre de detentos;


Transferidos para a Cadei Pública Vidal Pessoa (Foto: Márcio Silva)

4 de janeiro

> Polícia Civil identifica detentos que comandaram massacre nos presídios de Manaus;
> Ministro Alexandre de Moraes retorna para Brasília e se reúne com a presidente Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Carmen Lúcia;
> Ministro Alexandre de Moraes critica Governo do Amazonas e a empresa terceirizada a Umanizzare pelo massacre em presídios de Manaus;
> Sobe para 63 o número de foragidos recapturados;
> IML identifica e libera para familiares primeiros 14 corpos de detentos mortos em massacre;


Familiares de detentos transferidos para a Vidal Pessoa (Foto: Márcio Silva)

5 de janeiro

> Chegada em Manaus da presidente do STF, ministra Carmen Lúcia;
> Presidente do STF, ministra Carmen Lúcia, se reúne com presidente dos Tribunais de Justiça dos estados da região Norte;
> Primeira vistoria é realizada em um presídio de Manaus desde a fuga e o massacre de presos: a Unidade Prisional do Puraquequara. Foram encontradas armas, drogas e celulares;
> Seap divulga pela primeira vez lista com nomes e fotos de detentos recapturados; 65 até então;
> Sobe para 284 o número de detentos ameaçados de morte transferidos para a Cadeia Pública Raimundo Vidal Pessoa;
> Sobe para 34 o número de corpos de detentos mortos identificados e liberados no IML;


Presidente do STF em reunião com presidentes de tribunais (Foto: Clovis Miranda)

6 de janeiro

> Primeira vistoria é realizada no Compaj desde a fuga e massacre de presos. Foram encontradas armas, drogas, celulares, um pé de maconha, amplificadores de som e longa lista de objetos;
> Princípio de motim é registrado na Cadeia Pública Raimundo Vidal Pessoa;
> Pânico causa primeiros boatos de arrastão e falsas ocorrências em Manaus após fuga de detentos;
> Sobe para 41 o número de corpos de detentos identificados e liberados no IML;
> Chacina é registrada nos presídios de Boa Vista, em Roraima, com mais de 30 detentos assassinados, numa possível resposta do PCC à FDN;


Boatos de arrastão no Centro de Manaus (Foto:  Jander Robson)

7 de janeiro

> Primeira vistoria é realizada no Ipat desde a fuga de presos;
> Sobe para 67 o número de recapturados;
> Sobe para 49 o número de corpos de detentos identificados e liberados no IML;
> Polícia Civil do Amazonas deflagra operação contra criminalidade nas ruas de Manaus;


Quatro presos são mortos na Vidal Pessoa (Foto: Gilson Mello)

8 de janeiro

> Quatro detentos são assassinados em outro presídio de Manaus, desta vez a Cadeia Pública Raimundo Vidal Pessoa, onde estavam apenas presos considerados ameaçados de morte;
> Sobe para 64 o número de detentos mortos em presídios do Amazonas desde o dia 1º de janeiro de 2017;
> Governador do Amazonas pede ao Ministério da Justiça apoio da Força Nacional de Segurança Pública para conter crise penitenciária no Amazonas;
> Ministro da Justiça Alexandre de Moraes autoriza apoio da Força Nacional de Segurança Pública ao Amazonas, Rondônia e Mato Grosso;
> Três corpos são encontrados em avançado estado de decomposição dentro de área de mata no ramal que dá acesso ao Compaj, no Km 8 da rodovia federal BR-174;

9 de janeiro

> Após mortes na Cadeia Pública Vidal Pessoa, 20 detentos são transferidos para a Unidade Prisional de Itacoatiara, no interior do Estado, também dirigido pela Umanizzare;
> Governador José Melo propõe ao presidente da República, Michel Temer, um pacto nacional para combater o crime organizado;
> Sobe para 70 o número de detentos recapturados;

Carta denunciando corrupção no Compaj (Reprodução)

10 de janeiro

> Força Nacional chega a Manaus para reforçar segurança nos presídios e conter crise no sistema penitenciário;
> Justiça determina retorno imediato a Manaus dos 20 detentos que haviam sido transferidos para Unidade Prisional de Itacoatiara porque lá eles também corriam risco de morte;
> Nova vistoria é realizada no Compaj, desta vez com apoio do Exército Brasileiro;
> Diretor do Compaj, José Carvalho da Silva, é afastado do cargo após Jornal A Crítica e Portal A Crítica noticiarem uma carta escrita em dezembro de 2016, antes do massacre, denunciando suposto esquema de corrupção entre gestores do presídio e membros da facção criminosa FDN para facilitar fugas, mortes e a entrada de armas, drogas e celulares na unidade prisional;
> Sobe para 55 o número de corpos de detentos identificados e liberados no IML;
> Sobe para 73 o número de detentos recapturados;

Chegada da Força Nacional (Foto: Winnetou Almeida)

11 de janeiro

> Dezessete detentos líderes da chacina nos presídios de Manaus são transferidos para unidades prisionais federais em outras cidades brasileiras;
> Governo do Amazonas divulga que líderes da facção Família do Norte planejavam atentados a bomba contra autoridades no Estado;
> Defensoria Pública do Estado do Amazonas (DPE-AM) anuncia mutirão para revisar processos de detentos e reduzir população carcerária;
> Ordem dos Advogados do Brasil Seção Amazonas (OAB-AM) ingressa com ação popular na Justiça do Amazonas solicitando a suspensão de qualquer contrato entre o Governo do Estado que delegue a administração e a gestão do Compaj à empresa Umanizzare;
> Sobe para 77 o número de detentos recapturados;

Transferência de líderes do massacre (Foto: Márcio Silva)

12 de janeiro

> Detentos transferidos de Manaus chegam aos presídios federais;
> Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) admite erro na contagem dos detentos foragidos dos presídios. Segundo o órgão, houve excedente de 41 foragidos sobre o número de 184 divulgado inicialmente, ou seja, 225 internos fugiram no dia 1º de janeiro de 2017;
> Decreto do Ministério da Justiça estipula período de 30 dias da permanência em Manaus da Força Nacional de Segurança Pública;
> Primeira vistoria é realizada no Centro de Detenção Provisória de Manaus (CDPM) desde o início da crise no sistema penitenciário;
> Sobe de 107 para 148 o número de detentos que continuavam foragidos dos presídios de Manaus;
> Sobe para 63 o número de corpos de detentos identificados e liberados no IML. Um único corpo resta a ser liberado;

Pedro Florêncio (Foto: Arquivo A Crítica)

13 de janeiro
> Após confirmar erro no número de fugitivos, Seap divulga pela primeira vez uma lista oficial de 148 detentos que continuavam foragidos dos presídios de Manaus;
> Pedro Florêncio é exonerado do cargo de secretário de Estado de Administração Penitenciária (Seap);
> Tenente-coronel Cleitman Coelho é anunciado como novo titular da Seap no lugar de Pedro Florêncio;
> Um único corpo de detento morto no massacre resta a ser liberado no IML;
> Sobe para 80 o número de detentos recapturados;

Tenente-coronel Cleitman Coelho (Foto: Arquivo A Crítica)

14 de janeiro
> Agente penitenciário da Umanizzare é preso por repassar informações sigilosas a detento do Compaj;
> Inicia rebelião em presídio do Rio Grande do Norte;

15 de janeiro
> Termina rebelião em presídio no estado de Rio Grande do Norte com 26 mortos;
> Governo de Minas Gerais registra morte de dois detentos e fuga de 28 internos durante rebelião;

16 de janeiro
> Sobe para 81 o número de detentos recapturados em Manaus;
> Nova rebelião é registrada em presídio de Rio Grande do Norte;

DVD com imagens e vídeos do massacre (Foto: Reprodução)

17 de janeiro
Mutirão carcerário liberta 432 presos provisórios do sistema prisional do Amazonas;
DVD é vendido com imagens e vídeos do massacre nos presídios do Amazonas;
> Secretários de Segurança Pública dos estados se reúnem com o ministro Alexandre de Moraes, em Brasília, para propor soluções para a crise no sistema penitenciário brasileiro;
> Governador do Rio Grande do Norte, Robison Faria, diz que mortes de detentos em presídio de Natal foi retaliação do PCC à FDN;
> Entrada de parentes de detentos com alimentos volta a ser liberada no Compaj;
> Sobe para 83 o número de detentos recapturados em Manaus;