Terça-feira, 30 de Novembro de 2021
Ordem Nacional do Mérito Científico

Bolsonaro homenageia pesquisador Marcus Lacerda e diretora da Fiocruz Amazônia, mas volta atrás no dia seguinte

Lacerda coordenou estudo que apontou a ineficácia da cloroquina para tratar a Covid-19; e Adele Benzaken foi demitida de diretoria do Ministério da Saúde assim que o presidente assumiu o mandato



1636124345738962_683DDCC8-80C0-4061-99C8-7F922B798464.JPG Lacerda e Benzaken foram comendadores da Ordem Nacional do Mérito Científico por apenas um dia. Foto: montagem/reprodução
05/11/2021 às 11:03

O presidente Jair Bolsonaro homenageou o médico Marcus Lacerda, da Fundação de Medicina Tropical, com o título de “Comendador da Ordem Nacional do Mérito Científico”, mas nesta sexta-feira (5) voltou atrás, tornando sem efeito a nomeação publicada no Diário Oficial da União (DOU) de quinta-feira (4).

No novo decreto, Bolsonaro também retira o título concedido à médica amazonense Adele Schwartz Benzaken, diretora do Instituto Leônidas & Maria Deane da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz Amazônia), instituição que esteve à frente de estudos importantes na pandemia, como o sequenciamento que indentificou novas variantes do SARS-CoV-2.



As homenagens estavam incluídas no decreto pelo qual Bolsonaro se autonomeou Grão-Mestre da Ordem Nacional do Mérito Científico.

Marcus Lacerda é o médico que conduziu um estudo no Amazonas, no auge da primeira onda da pandemia, que apontou a ineficácia da cloroquina no tratamento de casos graves de Covid-19.

A constatação do estudo provocou uma série de ataques de bolsonaristas contra o pesquisador, com investigações de promotores da República defensores do “tratamento precoce” e de seguidores do presidente nas redes sociais, inclusive com ameaças de morte.

Até hoje, com um consenso científico internacional sobre a ineficácia do medicamento para a doença viral, Bolsonaro insiste em defendê-lo como tratamento e diz que foi curado por causa dele.

Adele Benzaken foi, por cinco anos, diretora do Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle de ISTs (Infecções Sexualmente Transmissíveis), HIV e Hepatites Virais do Ministério da Saúde, mas foi exonerada do cargo com a chegada de Bolsonaro, que declarou assim que chegou ao governo que "Uma pessoa com HIV é uma despesa para todos aqui no Brasil".

News ig  1  e5d45a12 de75 4b48 b153 50d8f5937814
Jornalista | SRTb 1437/AM
Está desde 2013 no A Crítica, onde foi repórter de Política, editor do Online e editor de Cidades. Desde 2020, é editor de Primeiras Páginas e colaborador eventual da coluna Sim&Não. Antes, trabalhou na TV Local e no jornal Amazonas Em Tempo.

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.