Sábado, 06 de Junho de 2020
tratamento

Comunidade médica corre contra o tempo no combate ao coronavírus

De acordo com especialistas, ainda não há remédios específicos para a cura da Covid-19. No entanto, estudos estão sendo realizados a todo vapor para conter a pandemia do novo coronavírus



WhatsApp_Image_2020-04-03_at_18.50.20_47E0B8AA-E0E9-408C-95C8-EC08072E5644.jpeg Foto: Divulgação
03/04/2020 às 19:25

Diante da pandemia do novo coronavírus, diversos profissionais da saúde ao redor do mundo começaram uma 'corrida' contra o tempo e todos têm se empenhado em buscar soluções - por meio de remédios ou vacinas, - para desenvolver uma forma de frear as consequências mortais da doença. Apesar dos testes em andamento com vários remédios, ainda não existe um tratamento oficial contra a Covid-19. Por enquanto, a estratégia dos médicos é basicamente controlar os sintomas, enquanto o próprio corpo se cura da infecção.

De acordo com o médico Marcus Lacerda, infectologista da Fundação de Medicina Tropical (FMT) e da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), bem como um dos coordenadores da pesquisa sobre a eficácia da cloroquina no tratamento da Covid-19, os estudos são recentes e o momento exige cautela.



“No Amazonas, estamos trabalhando no protocolo de pesquisa clínica "CloroCOVID-19", pioneiro no Brasil, que tem como objetivo avaliar a eficácia e segurança da Cloroquina em pacientes com diagnóstico de doença respiratório grave com suspeita de COVID-19. O estudo está no décimo primeiro dia. É necessário um tempo maior para obtermos resultados. A expectativa é que em algumas semanas tenhamos resultados preliminares”, afirma o médico.

Sintomas

De acordo com o infectologista, os sinais mais brandos da doença envolvem: febre, cansaço e tosse seca. Alguns pacientes podem apresentar coriza, dor de garganta, diarreia e dores no corpo.

Pessoas acima de 60 anos e pessoas com problemas de saúde pré-existentes, como diabetes, hipertensão e doenças cardíacas, podem evoluir para quadros graves da doença.

Como se trata de uma doença que ainda está sendo analisada, atualmente, o médico afirma que somente é considerado curado o paciente que, após o início dos sintomas, passou 14 dias em isolamento e não apresenta o quadro clínico do Covid-19.

Além disso, o médico alerta que é preciso tomar cuidado com a automedicação, principalmente diante de uma enfermidade que ainda está sendo estudada.

Tratamento

O especialista afirma que, até o momento, ainda não há nenhum medicamento específico para tratar ou prevenir o Covid-19.

“Para sintomas leves da doença, como febre e tosse, a recomendação é ficar em casa por pelo menos 14 dias para recuperação e para não transmitir a doença. Casos graves devem ser acompanhados por uma equipe médica no hospital”, alerta Marcus.

Além disso, Marcus Lacerda ressalta que ainda não há estudos conclusivos que possam afirmar que um indivíduo fica imune ao Covid-19 após contraí-lo uma vez.

Só deve buscar atendimento presencial quem apresentar febre alta (acima de 39°C) e dificuldade para respirar. O Ministério da Saúde tira dúvidas sobre a necessidade de procurar o pronto atendimento pelo telefone 136. A ligação é gratuita e diversos convênios estão oferecendo serviços semelhantes.

(Foto: Arquivo pessoal)

Frase: Marcus Lacerda, médico infectologista

No Amazonas, estamos trabalhando no protocolo de pesquisa clínica "CloroCOVID-19", pioneiro no Brasil, que tem como objetivo avaliar a eficácia e segurança da Cloroquina em pacientes com diagnóstico de doença respiratório grave com suspeita de COVID-19.

Repórter de A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.