Quarta-feira, 24 de Fevereiro de 2021
REFORÇO

Seis carretas com oxigênio chegam no porto da Ceasa, em Manaus

Foram quatro dias de transporte pela BR-319; quantidade será suficiente para abastecer demanda do Estado por pouco mais de dois dias



WhatsApp_Image_2021-01-24_at_12.05.17_36A1ED67-ECBE-4271-B5E6-A8D0F82D5E22.jpeg (Fotos: Junio Matos)
24/01/2021 às 12:17

Após quatro dias de transporte, seis carreatas com oxigênio chegaram no porto da Ceasa, situado no bairro Distrito Industrial, Zona Sul de Manaus, na manhã deste domingo (24). Após a chegada da última carreta, prevista para a noite de hoje, a soma total de oxigênio transportado será de 160 mil m³ - o suficiente para dois dias de consumo no Amazonas na atual demanda.

As equipes de transporte percorreram 877 quilômetros, de Porto Velho a Manaus, por meio da rodovia federal BR-319. A operação começou na quarta-feira (20). 



De acordo com Arlene Lamego Campos, superintendente do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) no Amazonas, a operação iniciou no estado de Rondônia.

“O valor desses insumos é inestimável. Nós, amazonenses, sabemos da dificuldade pela qual estamos passando. Enxergamos que a rodovia federal BR-319 é o único meio de ligação do nosso estado com o restante da federação. É o meio mais rápido, apesar do período invernoso ”, disse Arlene. 

Durante o trajeto, o comboio se dividiu em dois, um composto por quatro carretas e outro por três. Ao chegarem no Amazonas, os dois grupos se juntaram e chegaram juntos ao porto da da Ceasa, conforme a superintendente do DNIT. Uma delas enfrentou problemas técnicos e teve que parar no meio do caminho. O restante seguiu o percurso, para não atrasar o transporte. 

“Em alguns pontos da rodovia, os caminhões ficaram atolados, devido às chuvas. Foi necessário a utilização de equipamentos pesadas para puxá-los, mas graças a Deus conseguimos trazer esse material para Manaus”, disse Arlene. 

O DNIT foi acionado pelo Ministério da Saúde, para garantir o transporte seguro dos insumos. 

Durante a espera das carretas, a equipe de reportagem flagrou o momento no qual cerca de pelo menos 13 cilindros de oxigênio foram transportadas ao município de Careiro Castanho. De acordo com James Corina, representante da prefeitura do município, a média diria de consumo de oxigênio na cidade é de 20 a 25 cilindros. “Várias vidas foram ceifadas por falta de oxigênio, então dou graças a Deus por poder servir meu município”, disse.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.