Publicidade
Cotidiano
ELEIÇÕES

Amazonino mira em eleitores de Manaus e Wilson percorre o interior para o 2º turno

A três dias para as eleições do segundo turno, os dois candidatos ao Governo focam seus últimos esforços no eleitorado perdido no primeiro turno 25/10/2018 às 07:28
Show 1540424045547211 4e3baceb 8bca 4ffb 8672 c8fbdc123cd1
Foto: Arquivo/AC
Náis Campos Manaus (AM)

Faltam apenas três dias para a definição do novo governador do Amazonas e os dois candidatos à vaga, Amazonino Mendes (PDT) e Wilson Lima (PSC) miram seus últimos esforços na busca do eleitorado perdido no primeiro turno. O atual governador obteve, na votação de 7 de outubro, 232.032 votos na capital, equivalente a 22,45%, mas venceu em 50 municípios amazonenses. Em Uarini, por exemplo, Amazonino recebeu 78,79% dos votos.

Já a deficiência de Wilson Lima foi no interior onde venceu em apenas dois colégios eleitorais, Careiro e Parintins. Em Tonantins e Carauari, o jornalista não chegou a conquistar sequer 1% dos votos. Na capital, o desempenho foi melhor: 512.458 votos (49,58%). Esse percentual garantiu Lima na disputado do segundo turno contra o atual governador do Estado.

Para compensar a baixa votação na capital, a coordenação da campanha de Amazonino Mendes declara que vai continuar nas ruas, na televisão, no rádio e nas redes sociais mostrando as propostas e tudo que já realizou o candidato.

 “Além de informar que ele é contra o pagamento de indenizações pelo Estado a família de presos que se mataram em presídios, em briga de facções do crime organizado”, afirma a nota enviada à redação.

Já os coordenadores de campanha de Wilson Lima direcionam suas ações ao interior do Estado onde o jornalista obteve alta rejeição. Tanto que na última semana, o candidato visitou oito municípios em apenas quatro dias: Borba, Manicoré, Humaitá, Lábrea, Boca do Acre, São Gabriel da Cachoeira, Tefé e Coari. “Nas visitas às cidades, o candidato participou de carreatas, caminhadas e reuniões com apoiadores”, informaram os coordenadores.

E, para reforçar ao interiorano suas propostas, Wilson Lima aproveita as viagens para esclarecer alguns pontos de seu plano de governo. Na segurança, por exemplo, onde pretende aumentar o efetivo de policiais, reforçar o policiamento nas calhas dos rios e investir em infraestrutura e equipamentos.

“Na saúde, vamos ampliar o atendimento nos hospitais; reduzir as filas de espera por consultas, exames e cirurgias e aumentar o número de médicos”, detalhou a coordenação do candidato e completa: “O candidato   também ressalta que irá deixar  o Portal  da Transparência mais minucioso de informações sobre os gastos, receitas  e despesas públicas  para que o cidadão possa ter acesso aos dados com mais praticidade”.

Desconfianças

Pelo que os analistas avaliam, a missão dos candidatos de arrancar votos no eleitorado do outro não será nada fácil. O analista político, Marcel Valin pondera que nessas eleições, em geral, o indeciso passou a ser o eleitor que não quer mais a política tradicional, mas ao mesmo tempo tem dúvidas em quem se encaixa nesse perfil.

“É preciso buscar uma mescla entre experiência e políticas novas, e é isso que cada candidato precisa mostrar”, justifica Valin.

Em sua análise, o especialista diz que essa parcela do eleitorado, passou a ser o voto útil, que precisa ser convencido. “No cenário estadual, as urnas mostraram que políticos da velha guarda precisam se reinventar, como mostraram as votações de Omar Aziz e Eduardo Braga. É o caso de Amazonino Mendes, um político com uma longa história no Amazonas, mas que não apresentou nada de novo que o amazonense almejou para essas eleições. Wilson Lima, o candidato visto como capaz de ser o novo, precisa mostrar nessa última semana que terá pulso para governar o estado”, disse o analista político.

Elevada abstenção

O porcentual de eleitores que deixou de votar no primeiro turno no interior do Amazonas equivale a mais que o dobro da abstenção registrada na capital. Em todo o Estado, 469.693 ou 19,35% das pessoas não foram às urnas no dia 7 de outubro. Desse total, 167,2 mil votam em Manaus (e representam 12% do eleitorado da capital).

No interior, foram 302,4 mil faltosos, ou 27% do total.  E a tendência é que esse número aumente no segundo turno, sem as campanhas para o Legislativo “puxando” o eleitor para as sessões eleitorais.

Em pelo menos 15 cidades amazonenses, a abstenção foi superior a 30%. Nos municípios de Maraã, Santa Izabel e Envira, o percentual de quem deixou de votar foi de 42%, conforme dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Para reverter o quadro em seu favor, a campanha de Amazonino afirma que o candidato vai continuar pregando o processo de equilíbrio das contas públicas, recuperação do poder aquisitivo dos salários dos servidores, melhorias nos atendimentos à saúde e na segurança pública. “O Bolsa Família Estadual vai ajudar os responsáveis pelas famílias que ainda não conseguiram emprego”, declaram os apoiadores.

Por outro lado, Wilson Lima tem fortalecido sua mensagem ao povo do interior com o objetivo de consolidar as propostas voltadas para a área da educação, saúde, segurança e produção rural. Em seu perfis digitais, o candidato também tem respondido as perguntas e apresentado as propostas de seu plano de governo aos seus seguidores.

“Em todas as localidades visitadas, programas e reuniões realizadas  com a população, o candidato destaca que, no primeiro ano de sua gestão, caso eleito, irá  priorizar contenção de gastos  para finalizar obras em andamento e inacabadas  de gestões  passadas, como ampliação de estruturas e capacidade  de atendimentos  da rede de saúde, educação e segurança pública”, garante a coordenação.

Publicidade
Publicidade