Publicidade
Cotidiano
TECNOLOGIA

Biólogo do Amazonas cria aplicativo de celular que identifica doenças em peixes

A partir de um biosensor e do processamento de imagens, o Oi Peixe vai conseguir diagnosticar doenças e parasitoses em peixes, além de apresentar no celular quais as soluções para o problema 01/05/2018 às 03:32
Show biolo
O biólogo Rafael Sousa, criador do Oi Peixe. Foto: Divulgação
Vitor Gavirati Manaus (AM)

A comparação é simples e didática: ele funciona como um teste de gravidez. Basta utilizá-lo e o resultado aparece na hora. Mas, em vez de chegada de bebês, a invenção do biólogo pernambucano radicado no Amazonas Rafael Sousa identifica doenças. E em peixes.

“Estamos desenvolvendo um biosensor que funcionará detectando a presença de uma doença ou parasitose. Então o piscicultor usa o nosso aplicativo através do celular e, por processamento de imagem, o app analisa o biosensor (que será uma fita de papel com proteínas), mostrando a ele informações sobre a doença e as soluções disponíveis para tratar o peixe”, explica Rafael.

O projeto do biosensor está sendo desenvolvido no mestrado de Rafael, no Programa de Pós-Graduação em Imunologia Básica e Aplicada da Universidade Federal do Amazonas (Ufam). A expectativa é que até março de 2019, quando ele termina o mestrado, o biosensor esteja pronto para ser comercializado. O custo para a produção, segundo o pesquisador, será de no máximo R$ 50.

Além de dar um diagnóstico, o projeto de Rafael, batizado Oi Peixe, possui outras funções que podem ser um grande aliado do piscicultor.

“O piscicultor pode comprar a solução para tratar o peixe pelo aplicativo. Como os dados são armazenados na nuvem ,ele pode ter a conveniência de entender como está a sua produção mesmo longe dela”, conta o biólogo, frisando que o banco de dados criado com a ferramenta pode melhorar a piscicultura.

“Como vamos ver o consumo dos piscicultores, vamos entender como as doenças e parasitas estão se espalhando. Assim podemos prevenir futuros surtos de doenças e parasitas”, explica.

Startup premiada

Na última quarta-feira (25), Rafael e o Oi Peixe conquistaram, em São Paulo, o 1º lugar no Demoday Startup Founder Nanodegree, evento que reuniu startups de alunos da Udacity, conhecida como a Universidade do Vale do Silício. Como prêmio, o pesquisador faturou uma viagem ao Vale do Silício, nos Estados Unidos.

A participação no Demoday e a conquista, segundo Rafael, também foram importantes para ajudar na formação de parcerias para a comercialização do biosensor futuramente.


Rafael durante apresentação no Demoday. Foto: Divulgação

“A apresentação em São Paulo abriu as portas sobre as possibilidades em fazer negócios. Recebi um feedback positivo de aceleradoras quanto a ideia, também recebi indicações de bons investidores no Agronegócio e alguns investidores-anjos (investimento efetuado por pessoas físicas com seu capital próprio em startups) também me deram o contato”, revela Rafael.

De acordo com o pesquisador, atualmente, o Oi Peixe já conta com parcerias – o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) é uma delas, mas está aberto a novos parceiros.

Publicidade
Publicidade