Segunda-feira, 27 de Setembro de 2021
Caso Moa

Carlos Souza comemora absolvição do crime de tráfico de drogas

Nem o Inquérito Policial e nem o Ministério Público Estadual trouxeram provas necessárias para a condenação dos acusados Carlos e Fausto Souza



24F922E4-D0FC-4F4D-BCE5-D3160BE7990D_0BC55023-EBA8-42BF-B23F-CEC0126583E5.jpeg Carlos e o irmão Fausto Souza foram absolvidos do crime de tráfico de drogas. Foto: Reprodução / Internet
27/07/2021 às 11:21

O ex-deputado federal Carlos Souza disse que a absolvição dele e do irmão, o ex-deputado estadual Fausto Souza, do crime de tráfico de drogas no âmbito do caso 'Caso Moa' pela Primeira Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), nesta segunda-feira (26), vem 11 anos após muito “sofrimento” e tentativas de “provar que se tem uma família digna”.

Muito emocionado, Carlos Souza relatou que a condenação por tráfico de drogas consumada quando era vice-prefeito de Manaus na chapa do então prefeito Amazonino Mendes, eleito em 2008, lhe causou uma depressão profunda. Carlos comemorou absolvição e disse que ontem foi a primeira vez que conseguiu dormir sem a necessidade de remédios.

“Hoje está fazendo 11 anos que meu irmão faleceu (ex-deputado estadual Wallace Souza). Deus nos deu esse presente ontem, a nossa absolvição por unanimidade e com certeza deu ao Wallace que deve estar muito feliz. Sabendo que realmente a nossa família é digna, tivemos um pai que morreu com 91 anos e que tinha orgulho dos filhos. Fomos muito massacrados. Todo mundo nos bateu, não podíamos falar nada”, comentou Souza em entrevista à Rádio Tiradentes na manhã desta terça-feira.

Carlos afirmou que o julgamento colocou fim a um pesadelo, que se sente mais “leve”, mas ainda muito emotivo. O ex-apresentador não quis falar de planos para o futuro e se limitou a dizer que a vida dele está nas mãos de Deus.

Souza acredita que o irmão Wallace Souza e a família Souza foram alvo de uma ação orquestrada de perseguição política. Wallace, Carlos e Fausto Souza ficaram conhecidos por apresentar um programa na capital que misturava jornalismo policial e ações sociais a população carente.

O programa deu capital político aos ‘irmãos coragem’ que passaram a ser eleitos com votações expressivas aos cargos políticos que concorriam. Mais recentemente, por causa da vinculação da série da Netflix ‘Bandidos na TV’ que conta os meandros do período que os ‘irmãos coragem’ apresentavam o ‘Canal Livre', a versão de perseguição política contra a família Souza foi analisada pelo documentário.

Absolvição

Em decisão unânime que citou falta de provas, os irmãos Carlos e Fausto Souza foram absolvidos da prática do crime de associação para tráfico de drogas, conforme o artigo 35 da Lei n.º 11.343/06. Os autos, nem o Inquérito Policial e nem o Ministério Público Estadual trouxeram provas necessárias para a condenação dos acusados.

O relator da ação, desembargador João Mauro Bessa, depois de ouvir os advogados os irmãos Souza, negou preliminares de nulidades levantadas e na questão cental, encaminhou voto para reformar a decisão da 2.ª Vara Especializada em Crimes de Uso e Tráfico de Entorpecentes.

O relator não viu robustez nas provas que narram que os acusados se uniram de forma estável e com divisão de tarefas para o tráfico; e a fundamentação frágil e superficial da condenação não se sustenta. Para Bessa, a sentença teve alicerce apenas em relatórios de interceptação e quebra de sigilo telefônico e em testemunhos colhidos em ações penais.




Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.