Quarta-feira, 20 de Outubro de 2021
Benefício

Mais de 1,8 milhão de pessoas têm benefício parado no INSS; 25% por falta de documentação adequada

Segundo o órgão, muitos desses problemas podem ser resolvidos por por meio da escritura pública de união estável



shutterstock_1891438315-1024x624_FF57A9A0-9D36-44DF-9874-2080FDA34D00.jpg Foto: Reprodução
28/09/2021 às 16:41

O Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) divulgou nesta terça-feira (28) que mais de 1,8 milhão de pessoas em todo o Brasil aguardam em fila de espera para a concessão de benefícios. Segundo o órgão, 25% dos casos estão travados por falta de documentação adequada, entre elas as que comprovem o direito do companheiro(a) e dos dependentes à pensão, problema que poderia ser sanado por meio da escritura pública de união estável.

O ato, realizado diretamente em Cartórios de Notas, ou por meio da plataforma eletrônica www.e-notariado.org.br, possui diversas finalidades, como a de comprovar a existência da relação e fixar a sua data de início, estabelecer o regime de bens aplicável ao relacionamento, regular questões patrimoniais e garantir direitos perante órgãos para fins de concessão de benefícios, teve queda de 13,3% no Amazonas, na comparação entre os oito primeiros meses de 2021 com o mesmo período do ano passado.

Declaração realizada perante um tabelião de notas por duas pessoas que vivem juntas como se fossem casadas, independentemente do sexo, a escritura de união estável contabilizou, até agosto deste ano, um total de 1.441 atos praticados, frente a um total de 1.662 declarações no mesmo período de 2020, segundo os dados levantados pelo Colégio Notarial do Brasil – Conselho Federal (CNB/CF).

Segundo a presidente do CNB – Seção Amazonas, Juliana Fioretti, a escritura de união estável atesta a relação entre duas pessoas, sob a perspectiva de família, sendo um instrumento prático e eficaz na comprovação de uma relação pública e duradoura. “Caso não haja casamento nem escritura de união estável, a comprovação da relação e dos direitos de eventuais dependentes fica subordinada a uma série de provas, além de eventual oitiva de testemunhas, tornando o processo muito mais complexo e demorado”, completa.

Os casais interessados em formalizar a sua união estável devem procurar um tabelião de notas, apresentando seus documentos pessoais originais, RG e CPF, ou então estarem representados por procuração. Tabelado por lei estadual, o valor da escritura de união estável no Amazonas custa R$ 187,60.

Para realizar o ato de forma online, basta entrar em contato com um dos Cartórios de Notas credenciados na plataforma www.e-notariado.org.br e agendar a videoconferência. Para a assinar a escritura de forma virtual é necessário o uso de um certificado digital, que também pode ser emitido de forma remota pelo Tabelionato.



News portal1 841523c7 f273 4620 9850 2a115840b1c3
Jornalismo com credibilidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.