Segunda-feira, 17 de Maio de 2021
ENTREVISTA ESPECIAL

Retomada do turismo ao Amazonas depende da vacinação, diz ministro

Em entrevista ao A CRÍTICA, o ministro do turismo Gilson Machado avalia que o Amazonas será um dos destinos mais procurados após a pandemia



15751369135de2ae913ce09_1575136913_3x2_rt_5CC4BBEB-EE63-4274-9251-22F6E0C6237A.jpg
22/04/2021 às 12:35

A vacinação contra a Covid-19, aliada a adoção dos protocolos de segurança como o uso de máscaras, de álcool em gel e distanciamento social, possibilitarão a retomada das atividades turísticas em todo o país é o que afirma o ministro do Turismo, Gilson Machado Neto, em entrevista concedida nesta terça-feira (20) ao A Crítica.

Segundo ele, é possível falar em uma retomada gradual e segura do turismo à medida que a vacinação avança em todo o território nacional. E o Amazonas, segundo ele, reúne todas as condições para ser destaque durante a retomada, tendo em vista os inúmeros atrativos naturais frente ao aumento da procura por destinos de natureza.



“O Brasil é o país com o maior potencial de crescimento no turismo pós-pandemia, isso porque o turista vai procurar cada vez mais por destinos de natureza. Tive acesso a um dado do Google o qual mostra que antes da pandemia, 10 a cada 100 buscas eram sobre turismo de natureza. Depois da pandemia esse número saltou para 54. Isso só nos mostra como podemos crescer neste segmento”, comentou.  

“E tenho convicção de que o estado do Amazonas será um destino de destaque para impulsionar a retomada das atividades turísticas. No entanto, a solução para essa retomada passa pela ampliação da vacinação, aliada a adoção desses protocolos de biossegurança”.

O ministro do Turismo confirmou a possibilidade de crescimento de setores como o de hotelaria, por exemplo. Ele revela, tendo como base uma pesquisa feita pelo Ministério do Turismo, com empresários do setor de hotelaria de todas as regiões do país, que a Região Norte se destaca como a que mais deve registrar investimentos no primeiro semestre de 2021, com 60,1% de intenção de investir.

“Isso comprova que o setor do estado está confiante nessa recuperação”. O ministro lembra ainda que essa contribuição deve vir, por exemplo, dos turistas americanos, os quais possuem grande interesse pela região.

“Importante ressaltar que o Amazonas é o ponto mais próximo dos Estados Unidos e o turista americano possui um grande interesse pelo turismo de natureza e pesca esportiva e tem a característica de ser um dos turistas com maior gasto”, afirma.   “Com a isenção de visto para o turista americano, assegurada pelo presidente Bolsonaro, certamente esse será um turista que contribuirá muito para a retomada da atividade no estado no pós-pandemia”.

APOIO AO EMPRESÁRIO 

A realidade do setor de turismo amazonense, atualmente, é de paralisação das atividades por conta da pandemia do novo coronavírus no Estado. O A Crítica ouviu proprietários de empresas do segmento turístico, os quais pediram soluções de fomento do turismo local. Em resposta a demanda, o Ministério do Turismo afirma que tem promovido iniciativas em diversas frentes para apoiar o setor em todo o país. Umas das principais ações, segundo Gilson Machado Neto, foi a disponibilização de R$ 5 bilhões para oferta de crédito de empreendimentos cadastrados no Cadastur.

De acordo com o órgão federal, os empreendedores amazonenses contam com a linha de crédito do Fundo Geral do turismo (Fungetur) ofertados pela Caixa Econômica Federal (R$ 1,2 bilhão), BANCOOB (R$ 602 milhões) e BASA (R$ 128 milhões), com taxas (de até 5% ao ano, acrescida da Selic) e prazos (de até 240 meses) diferenciados. 

“O recurso é destinado, preferencialmente, aos segmentos de micro, pequenas e médias empresas e pode ser utilizado na melhoria da infraestrutura do empreendimento, como ampliação, modernização e reformas; na aquisição de máquinas e equipamentos turísticos e para o capital de giro, que é aquele dinheiro necessário para bancar o funcionamento de uma empresa”, explicou.

O turismo doméstico e de proximidade são vistos como fortes tendências para a retomada do setor e por conta disso, o Ministério do Turismo explica que tem trabalhado para fortalecer a promoção dos destinos nacionais (com campanhas de todos os estados) e para melhorar a infraestrutura turística, permitindo o aumento do fluxo de turistas. Além disso, Machado Neto relembra a elaboração do Selo Turismo Responsável, por meio do qual foram estabelecidos protocolos de biossegurança para 15 segmentos, o que garante mais segurança para turistas e trabalhadores do setor na retomada dessas atividades.

“A partir do momento que o turista se sente mais seguro e protegido, a tendência é que ele viaje mais e contribua para o retorno do nosso setor, permitindo que ele volte a gerar emprego e renda para a nossa população”. Hoje, mais de 27,5 mil estabelecimentos turísticos possuem o selo “Turismo Responsável, Limpo e Seguro”, sendo 289 empreendimentos no estado do Amazonas.

INFRAESTRUTURA DE AEROPORTOS

Sobre a estratégia para melhorar a infraestrutura turística no Brasil, o ministro Gilson Machado Neto ressaltou iniciativas como a concessão de aeroportos, realizada recentemente pelo Ministério da Infraestrutura e que garantiram, segundo ele, mais de R$ 6 bilhões em investimentos para os aeroportos.

“Os aeroportos de Manaus, Tabatinga e Tefé estavam entre os contemplados pela iniciativa e certamente a população amazonense, além dos turistas brasileiros e estrangeiros encontrarão um serviço de mais qualidade ao embarcarem ou desembarcarem nesses terminais”, afirmou. Além disso, ele comenta que é preciso assegurar investimentos em promoção – nacional e internacional – fator decisivo para aumentar a participação do setor no mercado global. 

“Sem promoção nós não conseguiremos fazer frente aos nossos grandes competidores. Inclusive, uma das iniciativas que já estamos trabalhando é garantir a presença de destaque do Brasil e dos nossos destinos na ExpoDubai. Vamos mostrar ao mundo o que temos de melhor e não tem como falar em Brasil sem falar em Amazônia e no Amazonas”.

PANDEMIA E SETOR TURÍSTICO 

Gilson Machado avaliou que nos meses de novembro e dezembro de 2020 e janeiro de 2021,  a pasta percebeu a maior retomada do setor em toda a América Latina. Conforme o balanço feito por ele, o setor hoteleiro registrou mais de R$ 6 bilhões em investimentos para a construção de 147 hotéis em 97 cidades brasileiras, com previsão de inauguração até 2025.

Houve registro de crescimento na aviação também. De acordo com ele, só no aeroporto de Recife houve um aumento de 110% no número de voos em janeiro de 2021 em comparação ao mesmo período de 2020, bem como o crescimento de 85% na oferta de voos. Também foi observado aumento dos voos executivos, com registro, inclusive, de engarrafamento de jatinhos em algumas cidades do nordeste.

“Com o exemplo da retomada que observamos no final do último ano e início deste ano, com anúncios de investimentos e crescimento da aviação, aliado ao avanço da vacinação, a expectativa é que o turismo no Brasil registre a maior retomada já vista, impulsionada por destinos únicos e ações de melhoria de infraestrutura e promoção”, ressaltou o ministro.

“O que observamos em todos os estudos de tendência são o fortalecimento do turismo doméstico, o aumento por destinos de proximidade – até 300 km –  e o aumento expressivo da procura pelo turismo de natureza. Nesse cenário, nenhum país no mundo oferece as opções que o Brasil oferece. A gente vive no melhor país do mundo”, finalizou.

News karol 2d8bdd38 ce99 4bb8 9b75 aaf1a868182f
Repórter de Cidades
Jornalista formada pela Uninorte. Apaixonada pela linguagem radiofônica, na qual teve suas primeiras experiências, foi no impresso que encarou o desafio da prática jornalística e o amor pela escrita.

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.