Publicidade
Cotidiano
SEGURANÇA DIGITAL

Especialista dá dicas para quem não quer ser vítima de fraudes na internet

Evento que acontece em Manaus no dia 24 de fevereiro discutirá sequestro de identidade, técnicas de mineração das moedas digitais e como lucrar nesse ramo, com segurança 03/02/2018 às 16:21 - Atualizado em 05/02/2018 às 13:43
Show robo
(Foto:Reprodução)
Larissa Cavalcante Manaus (AM)

O nível de preocupação do brasileiro com sua segurança continua alto. De acordo com o levantamento Security Index 2017, da Unisys, 72% dos brasileiros relataram alto nível de preocupação relacionada a roubo de identidade e fraude bancária. Em terceiro lugar está a preocupação com vírus e ataques hackers que cresceu 29% pontos em três anos.

Na avaliação do especialista em segurança digital, Bruno Prado, CEO da UPX Technologies, o sequestro de identidade se tornou frequente com a ampliação do acesso à internet em que mais usuários estão conectados e, consequentemente, disponibilizando informações pessoais na web.

“Esse tipo de crime pode ocorrer por meio do envio de mensagens e propagandas falsas que induzem o usuário a clicar no link e fornecer informações como número de documento e de cartões de crédito para participar de uma promoção ou ganhar desconto em uma compra, por exemplo. Os criminosos também podem coletar dados através de mensagens falsas em nome de bancos pedindo atualização de cadastro ou através do anúncio de vagas de empregos que não existem”, explicou.

Segundo Prado, uma das práticas mais comuns é a utilização de cartão de crédito para fazer compras, seja online ou em lojas físicas. Para ele, é fundamental verificar sempre a certificação de segurança e a reputação dos sites. No caso das empresas, é importante que haja uma governança voltada para Tecnologia da Informação (TI) para garantir a proteção de dados. Profissionais especializados na área de segurança digital também podem contribuir para a antecipação e o monitoramento de riscos e ameaças.

Além das certificações de segurança e da reputação dos sites, o especialista frisa a educação digital como uma boa saída para evitar esse tipo de crime. “Vários documentos e manuais estão disponíveis para incentivar o bom uso da internet e garantir mais segurança aos usuários. Por exemplo, a cartilha de segurança para internet elaborada pelo Centro de Estudos, Resposta e Tratamento de Incidentes”, destacou.

Tanto softwares de licença livre, gratuitos, quanto os pagos podem estar suscetíveis a esse tipo de crime. Então, é importante em todos os casos seguir as orientações de boas práticas do uso da internet.

Opinião

"Roubo de identidade e softwares livres são temas muito discutidos. Tudo que você faz no computador, tablet ou smartphone fica armazenado como informações. Então esses dados pessoais ou financeiros podem se sequestrados. Sempre aconselho as pessoas quando sair da sua rede doméstica utilizar os dados móveis ao invés de utilizar uma rede pública, principalmente, se possui o hábito de pagar contas pelo celular ou têm dados sensíveis no aparelho. Quando o celular ou computador emite sinais que esteja comprometido, por exemplo, pausas (congelar) no sistema operacional se pensa que o celular está travando e na verdade pode está enviando dados para terceiros. Sistemas de proteção como antivírus também podem ajudar a evitar danos", explicou o perito em computação forense Adonel Bezerra.  

Evento

No dia 24, ocorrerá o 8º Encontro Nacional de Associados do Clube do Hacker (Enach) na Faculdade Devry Martha Falcão. O evento é voltado para o público que deseja compreender como funciona a área da segurança da informação, além de aprender as técnicas de utilização da mineração das moedas digitais e como lucrar nesse ramo, com segurança.

Além de discutir temas como sequestro de identidade e softwares livres, o encontro contará com o  mestre em sistemas da informação e especialista em infraestrutura Fábio Luz que irá explicar o processo de  mineração de bitcoin, desde a criação das moedas, bem como a mecânica de como capitalizar operando a cryptomoeda.

Publicidade
Publicidade