Publicidade
Cotidiano
ECONOMIA

Fim de sinal analógico de TV e ano de Copa devem impulsionar indústria no Amazonas

A partir de maio, três municípios devem receber só transmissões digitais. Além disso, ano de mundial de futebol faz venda de TVs crescer 37%, segundo Fecomercio 29/01/2018 às 06:10
Show 29
Foto: Arquivo A Crítica
Larissa Cavalcante Manaus (AM)

Começou a contagem regressiva. Em 30 de maio, o sinal analógico de TV será desligado em Manaus, e nos municípios Careiro da Várzea e Iranduba, e as transmissões dos canais serão feitas apenas pelo sinal digital. A procura por televisores vem aumentando na capital e os lojistas estão otimistas visto que a Copa Mundo impulsiona produção e a venda de televisores.

De acordo com o presidente da Federação do Comércio do Estado do Amazonas (Fecomercio), José Roberto Tadros, historicamente o ano em que se Copa do Mundo há um aumento na venda de televisores e o crescimento previsto pelo comércio é na ordem de 37%.

“Esses eventos são extremamente importantes para o Estado na medida em que se tem a Zona Franca com praticamente o monopólio da produção de televisores no Brasil, se tem um incremento alto na produção de televisão e isso reflete em mais mão de obra, consumo, mais impostos e uma expectativa de crescimento significativo”, explicou.

Os últimos dois meses as vendas de televisores foram acima da expectativa para o período no grupo TV Lar, tanto que a varejista já renovou o estoque para atender todos os clientes até a Copa. “Observamos uma procura atípica muito grande e as pessoas preferem se antecipar e aproveitar as promoções. A expectativa é de um acréscimo nas vendas acima de 30%”, afirmou a gerente da filial Eduardo Ribeiro, Nazareth Garcia.

Na Ramsons a procura por TVs já vem desde o final do ano passado impulsionado com os descontos “imperdíveis” da Black Friday. A loja dispõe de televisores de diferentes modelos e para todos os bolsos que vão de R$999 a R$17 mil dependendo da tecnologia do aparelho.

“A procura não é recente e só tende a crescer. Por ser tratar de um ano de copa de mundo, a previsão e a meta é de crescimento em torno de 30%. Para atender a demanda temos todos os lançamentos da indústria e temos a previsão de chegada de futuros”, contou o gerente de marketing Thiago Rezende.

Segundo a gerente de marketing da Bemol, Sheyla Sobreira, desde o semestre de 2017 o grupo registrou um aumento significativo na demanda por televisores. Na sua avaliação, o consumidor está mais confiante e gastando mais por acreditar que a crise ficou para trás.

“Fechamos o ano passado com um crescimento de 34% nas vendas da categoria (período do ano todo). Particularmente, no último trimestre foi muito forte a procura por televisores.  Maior parte das vendas foi concentrada em novembro e dezembro. As ações do Black Friday despertam muito interesse pelas promoções, mas o consumidor acabou optando por levar um produto novo”, disse.

Na varejista, as televisões com maior saída são as de 32 polegadas ("), mas o evento Copa do Mundo deve ocasionar uma procura por telas acima de 50". Para 2018, que é um ano de Copa do Mundo, esperamos um crescimento entre 30 e 40% em relação ao ano anterior. “Acreditamos que o varejo, como um todo tenha registrado aumento nas vendas dessa categoria. Para 2018, que é um ano de Copa do Mundo, esperamos um crescimento entre 30 e 40% em relação ao ano anterior”, frisou.

Caça aos conversores

A equipe de reportagem percorreu lojas e importadoras no Centro de Manaus e encontrou o aparelho de conversor digital a pronta entrega na Importadora Caroline, localizada na rua Doutor Moreira.

Conforme a proprietária Clea Pereira quem mais procura pelo aparelho são os clientes do interior, optam por não se desfazer da TV de tubo, que vem a capital para fazer compras e aproveitam a proximidade com o porto. “Já tem uns meses que os clientes vêm procurando e os aparelhos estão acabando. As poucas unidades da marca Multilaser estão na promoção por R$139”, disse.

Contratação de temporários

O Polo Industrial de Manaus vai empregar nos próximos meses mais de mil funcionários temporários para atender o aumento da demanda de produção de televisores, que já deu sinais de crescimento na venda de TVs antes mesmo da virada do ano.

Segundo o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do Amazonas (Sindmetal), Valdemir Santana, serão contratados em torno de 1500 profissionais temporários para atender a demanda da produção de televisores em virtude da Copa do Mundo de Futebol este ano.

“Boa parte do estoque para a Copa foi produzida em 2017, mas uma leva adicional ainda precisa sair das fábricas. Para isso as empresas reduziram o período de férias do  final do ano para 15 dias visando atender a demanda de produção”, contou.

Em 2018, quem mais deve contratar temporários são as empresas que fabricam televisores e componentes instaladas na Zona Franca, por exemplo, LG, Semp Toshiba e Samsung.

De acordo com Santana, o sindicato realizou um acordo com doze empresas de recursos humanos especializadas, na avaliação e contratação de funcionários, entre elas as empresas Desafio, Inovar Consultoria RH, Mega RH, RH Amazonas, entre outras.

Tecnologia 4k lidera

A Samsung mantém a liderança no mercado de TV’s graças a modelos 4K. A quantidade de aparelhos com essa resolução disponíveis no mercado também cresceu. O faturamento do setor de TVs teve crescimento de 96% para o 4K, enquanto os demais modelos tiveram retração de 1,5%.

Três perguntas para Lourival Kiçula

Confira abaixo três perguntas para Lourival Kiçula, presidente da Associação Nacional de Fabricantes de Produtos Eletroeletrônicos (Eletros).

- Qual o balanço da Eletros sobre 2017 e a projeção para este ano?
R: 2017 foi o ano que marcou o início da retomada do setor eletroeletrônico no Brasil, sinalizando o fim do pior momento da recessão dos últimos três anos. Colocamos o pé em 2018 com melhores condições. A perspectiva é que o mercado cresça em torno de 10% neste ano, seguindo a linha de 2017.

- O cenário de produção e comercialização de televisores deve melhorar com a proximidade da Copa do Mundo?
R: A Copa do Mundo representa uma inversão de sazonalidade, trazendo as vendas de aparelhos eletrônicos, como TVs, que normalmente ocorrem no segundo semestre, para os primeiros meses do ano em que o evento é realizado.

- Qual a estratégia da indústria para estimular o consumo?
R: A inovação constante é a principal estratégia do setor para estimular as vendas de televisores. Iniciamos 2018 com melhores condições e dispostos a avançar ainda mais, promovendo o desenvolvimento industrial do País, com geração de empregos e oferta de produtos de qualidade, a preços competitivos para os consumidores.

Publicidade
Publicidade